Uruguaio Nico López é a principal esperança de gols do Inter na competição continental. Foto: Ricardo Duarte / divulgação Inter

Estreia. Primeiro desafio colorado é contra o Palestino, no Chile. Tricolor visita o Rosario Central, na Argentina

Oito anos depois, Grêmio e Inter voltam a disputar juntos a maior competição do continente. Nesta quarta-feira, os maiores clubes do Estado fazem suas estreias na Libertadores da América 2019. Evidentemente, a dupla Gre-Nal entra no torneio com o mesmo objetivo: levantar a taça. No entanto, o caminho até Santiago, no Chile (onde será disputada a final única, no dia 23 de novembro), promete ser espinhoso, já que praticamente todas as principais forças da América do Sul estão presentes nesta edição.

Pela primeira vez, a decisão da Libertadores será disputada em jogo único. É a principal novidade deste ano. Como citado anteriormente, o campeão será conhecido em Santiago, no Chile. O primeiro passo que o Inter dará no torneio para disputar a grande final será em Las Condes, cidade chilena localizada, justamente, na província da capital Santiago. O adversário colorado na estreia é o modesto Palestino, que superou Independiente Medellín e Talleres nas fases prévias.

Diego Tardelli e Felipe Vizeu chegaram nesta temporada para reforçar o ataque tricolor. Foto: Lucas Uebel / divulgação Grêmio

De volta à competição após três anos de ausência, o Inter vai em busca do tricampeonato continental e aposta na manutenção da base da última temporada. Contratado no segundo semestre de 2018, o peruano Paolo Guerrero é o principal reforço do time para a Libertadores. Contudo, ele só poderá estrear na quarta rodada, contra o Palestino, no Beira-Rio. Bicampeão do torneio pelo clube, o ídolo Rafael Sobis retornou ao Inter nesta temporada para tentar o terceiro título.

O técnico Odair Hellmann vai para sua primeira Libertadores no comando da equipe e deve mandar a campo na estreia o seguinte time: Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, Patrick, Nico López e William Pottker; Pedro Lucas. A bola rola às 19h15min (horário de Brasília).

Cônsul do Inter em Montenegro, José Airton Kerber acredita que ainda falta um padrão de jogo para a equipe deslanchar. “O time não está pronto ainda. No Gauchão, não houve a sequência de uma escalação. Acredito que um bom enfrentamento contra o Palestino, voltando com pelo menos um ponto na bagagem, pode fazer esse time engrenar. Temos um bom grupo, mas ainda falta um lateral de qualidade e mais um articulador”, analisa.

“Na Libertadores, o importante é não perder fora e ganhar as partidas em casa. Com a entrada do Guerrero no comando do ataque e com o time mais azeitado, temos condições de brigar lá na frente. Acredito na força do Inter”, complementa Airton.

O Grêmio também estreia hoje à noite, logo após o jogo do Inter. Diante do Rosario Central, a equipe comandada pelo ídolo Renato Portaluppi quer uma vitória para começar com o pé direito a caminhada em busca do tetracampeonato. A provável escalação do tricolor para o duelo na Argentina tem Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Rômulo, Maicon, Marinho (Montoya), Luan e Everton; Felipe Vizeu.

O torcedor gremista Marcos Guarani confia em uma vitória tricolor esta noite, mas alerta para a tradição argentina no torneio. “A ansiedade é grande por esse jogo, é o mais importante do ano até aqui. Parece clichê, mas Libertadores é Libertadores. Não tem jogo fácil antes de ser jogado. Classifico o Rosario de mediano para fraco no momento, estão mal no campeonato nacional, mas ainda é um clube argentino e em campo existe a eterna rivalidade. Pelos cuidados que tomaremos, arrisco um placar natural de 2 a 0 para o Grêmio hoje”, argumenta.

As chegadas de Rômulo, Montoya, Felipe Vizeu e Diego Tardelli deixam o Grêmio com um plantel mais encorpado em relação ao último ano, acredita Guarani. “Estamos com um elenco mais consistente, temos peças de reposição muito boas. O momento é outro (em relação a 2017) e o Arthur desequilibrava tudo. Até o Jailson foi protagonista, mas esse ano temos um elenco bem equilibrado, mantendo o protagonismo da equipe e não de um ou outro jogador”, conclui.

Os adversários do Inter na fase de grupos
O grupo A se desenhava para ser a “chave da morte” desta edição após o sorteio da competição. Porém, a queda do São Paulo para o Talleres-ARG na segunda fase, e a eliminação dos argentinos para o Palestino-CHI na terceira fase, tornou a tarefa do Inter, teoricamente, menos complicada nesta etapa. Além dos chilenos, o colorado terá como adversários o gigante River Plate-ARG, atual campeão da Libertadores, e o Alianza Lima-PER, clube de formação do atacante Paolo Guerrero, que hoje defende as cores do Inter.

Odair vai para sua primeira Libertadores no comando técnico do Inter. Foto: Ricardo Duarte / divulgação Inter

Detentor de quatro títulos da Libertadores, sendo o último em 2018, quando bateu o grande rival Boca Juniors na decisão, o River Plate é o favorito do grupo. Neste ano, a equipe vem jogando melhor fora de casa, mas o Monumental de Nuñez segue sendo um dos trunfos do time, principalmente na competição continental.

Um dos destaques da campanha vitoriosa do ano passado, Gonzalo “Pity” Martínez rumou para os Estados Unidos. Com isso, o colombiano Juan Quintero passou a ser o grande nome da equipe. O meio-campista Exequiel Palacios e o lateral-esquerdo Casco se lesionaram recentemente e não devem atuar na fase de grupos.

O Alianza Lima, do Peru, garantiu vaga na Libertadores com o vice-campeonato nacional. As melhores participações do clube na competição foram em 1976 e 1978, quando chegou às semifinais. A casa do Alianza é o estádio Alejandro Villanueva, que tem capacidade para 35 mil pessoas. O jogador mais conhecido da equipe é o goleiro Pedro Gallese, titular da seleção peruana.

Depois de passar por duas fases prévias (eliminando Independiente Medellín-COL e Talleres-ARG), o modesto Palestino, do Chile, chega com moral ao grupo A. Primeiro adversário do Inter na competição, o time tem no meia Luis Jiménez (que já atuou na Inter de Milão-ITA) sua referência técnica.

Tabela do grupo A
Hoje – 19h15min – Palestino x Inter
Hoje – 21h30min – Alianza Lima x River Plate

13/03 – 21h30min – Inter x Alianza Lima
13/03 – 21h30min – River Plate x Palestino

02/04 – 21h30min – Palestino x Alianza Lima
03/04 – 19h15min – Inter x River Plate

09/04 – 21h30min – Inter x Palestino
11/04 – 19h00min – River Plate x Alianza Lima

24/04 – 19h15min – Palestino x River Plate
24/04 – 21h30min – Alianza Lima x Inter

07/05 – 21h30min – River Plate x Inter
07/05 – 21h30min – Alianza Lima x Palestino

Grêmio terá oponentes tradicionais, mas nunca campeões
Cabeça de chave do grupo H, o Grêmio terá adversários de tradição na Libertadores da América. Porém, nenhum dos três rivais do tricolor nesta etapa já levantou a taça da maior competição do continente. Quem chegou mais perto do título foi a Universidad Católica-CHI, vice-campeã em 1993. Primeiro adversário gremista, o Rosario Central-ARG fez sua melhor campanha em 2001, quando chegou à semifinal. O Libertad-PAR também alcançou no máximo as semifinais, em 2006, quando foi eliminado pelo grande rival do tricolor gaúcho.

Algoz do Grêmio na Libertadores de 2016, os argentinos do Rosario Central não chegam em um bom momento para o torneio deste ano. Recentemente, o clube demitiu o técnico Edgardo Bauza. A situação no Campeonato Argentino é preocupante, por isso a tendência é que a equipe seja mista nesta quarta-feira, contra o Grêmio. O Rosario garantiu classificação para sua 12ª participação na Libertadores com o título da Copa Argentina, na temporada passada.

Maior ídolo do clube, Renato Portaluppi busca mais um título de Libertadores da América pelo Grêmio. Foto: Lucas Uebel / divulgação Grêmio

Apesar do momento ruim, a expectativa é de que o estádio Gigante de Arroyito receba mais de 30 mil torcedores esta noite.
Equipe do grupo H com mais participações na competição (26), a Universidad Católica se credenciou para a disputa desta edição com o título do Campeonato Chileno no ano passado. Comandado pelo meia argentino Diego Buonanotte, o time aposta na experiência do elenco para voltar a disputar as fases quentes da Libertadores.

Última equipe a garantir presença na fase de grupos desta edição, ao eliminar o tradicional Atlético Nacional-COL nos pênaltis na terceira fase prévia, o Libertad (18 participações no torneio) também tem como trunfo a experiência do seu plantel. O ex-gremista Riveros, que vem sendo reserva, é uma das opções para o meio-campo do time paraguaio. O ataque, composto por Óscar Cardozo e Adrián Martínez, é o setor mais perigoso da equipe. Martín Silva, ex-Vasco, é o responsável por fechar a meta do Libertad.

Tabela do grupo H
Hoje – 21h30min – Rosario Central x Grêmio

12/03 – 21h30min – Grêmio x Libertad
13/03 – 21h30min – Universidad Católica x Rosario Central

04/04 – 19h00min – Universidad Católica x Grêmio
04/04 – 21h00min – Libertad x Rosario Central

10/04 – 21h30min – Grêmio x Rosario Central
10/04 – 21h30min – Universidad Católica x Libertad

23/04 – 19h15min – Libertad x Grêmio
24/04 – 19h15min – Rosario Central x Universidad Católica

08/05 – 19h15min – Grêmio x Universidad Católica
08/05 – 19h15min – Rosario Central x Libertad

Obs.: O duelo entre Libertad e Universidad Católica ocorreu ontem à noite. Os paraguaios levaram a melhor e golearam a Católica por 4 a 1.

Os outros brasileiros na disputa
Além da dupla Gre-Nal, outros cinco times brasileiros brigam pelo título da Libertadores neste ano. Seriam oito postulantes do Brasil, porém o São Paulo já foi eliminado na segunda fase. O Atlético-MG, que também disputou as fases prévias, garantiu classificação para o grupo E, ao lado de Cerro Porteño, Zamora e Nacional. O Atlético-PR está no grupo G, junto com Boca Juniors, Tolima e Jorge Wilstermann. No grupo D está o Flamengo, que também conta com LDU, Peñarol e San José. O Cruzeiro está no grupo B, ao lado de Deportivo Lara, Emelec e Huracán. O Palmeiras terá como rivais no grupo F o Junior Barranquilla, Melgar e San Lorenzo.

Deixe seu comentário