Brasil deve repetir a escalação do último jogo na final contra a Seleção Peruana. Foto: Lucas Figueiredo / divulgação CBF

Invicta e favorita, Seleção principal volta ao estádio após seis anos

Rivais na fase de grupos, Brasil e Peru voltam a se enfrentar neste domingo, mas dessa vez, o duelo vale o título da Copa América. Após seis anos, a Seleção Brasileira retorna ao estádio Maracanã e busca confirmar o favoritismo, enquanto os peruanos pretendem coroar a boa campanha com a conquista do torneio, que venceu pela última vez há 44 anos. A grande final da Copa América começa às 17h.

A última vez do Brasil no Maracanã traz boas recordações. No dia 30 de junho de 2013, a Seleção venceu a Espanha por 3 a 0 e conquistou o título da Copa das Confederações. Curiosamente, foi a última taça levantada pela equipe principal do Brasil. Em 2014, quando sediou a Copa do Mundo, o time verde e amarelo não atuou nenhuma vez no estádio mais famoso do futebol mundial. O jogo deste domingo será o primeiro de Tite no comando da Seleção no Maraca.

Favorito contra os peruanos, o time brasileiro se vacina para não ser surpreendido como foram Uruguai e Chile nas fases anteriores. Invicto e ainda sem sofrer gols na Copa América, a equipe comandada por Tite pode atingir uma marca histórica na decisão. Se não for vazado e levantar a taça, o Brasil conquistará seu primeiro título oficial sem sofrer gols na história. Um dos responsáveis para isso é o goleiro Alisson, ex-Inter, que fez defesas importantes contra Paraguai e Argentina.

A zaga composta por Marquinhos e Thiago Silva vem tendo um ótimo desempenho na competição. Melhor em campo contra a Argentina, o experiente lateral Daniel Alves também vem fazendo uma Copa América de alto nível. Na esquerda, Filipe Luís e Alex Sandro são sinônimos de regularidade. Os meio-campistas ainda auxiliam o setor defensivo e deixam poucos espaços para o ataque adversário.

O ataque chega com a moral elevada para a decisão. Diante da Argentina, Gabriel Jesus marcou seu primeiro gol pela Seleção em Copas. Além disso, Jesus fez grande jogada e deu o passe para Roberto Firmino marcar o segundo e garantir a classificação. O gremista Everton foi o destaque brasileiro na primeira fase e, apesar de ter sido substituído no intervalo na semifinal, será titular neste domingo.

Em busca do nono título de Copa América em sua história, a Seleção Brasileira deve entrar em campo no Maracanã com Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís (Alex Sandro); Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Everton, Gabriel Jesus e Roberto Firmino.

Ídolo Paolo Guerrero é a principal esperança dos peruanos nesta decisão. Foto: divulgação internet
Torcedores peruanos apostam no ídolo Paolo Guerrero
A Seleção Peruana vive um grande momento. Em 2018, disputou a Copa do Mundo após 36 anos de ausência. Agora, busca conquistar a América depois de 44 anos. Bicampeão do torneio, o Peru não chegava à final desde 1975, quando ergueu a taça pela última vez – o outro título foi conquistado em 1939. Neste domingo, a geração de Paolo Guerrero e cia. quer estragar a festa brasileira e continuar fazendo história.

Ídolo máximo do país, o atacante do Inter é o maior artilheiro em atividade da Copa América (13 gols marcados em cinco edições) e principal esperança dos torcedores peruanos para esta final. Na edição atual, Guerrero já balançou as redes duas vezes, contra Bolívia e Chile, justamente nas duas únicas vitórias da Seleção Peruana na competição.

Na primeira fase, o Peru somou quatro pontos: empatou sem gols na estreia com a Venezuela, venceu a Bolívia por 3 a 1 e foi goleada pelo Brasil por 5 a 0. Avançou aos matas como melhor terceiro colocado e enfrentou o Uruguai nas quartas de final. O time comandado pelo técnico argentino Ricardo Gareca segurou Cavani e Suárez no tempo normal e levou a melhor nos pênaltis. Na semifinal, a melhor atuação. Contra o atual bicampeão Chile, fez 3 a 0 e garantiu vaga para a final com merecimento.

Deixe seu comentário