Jorge Antônio, Capela, atleta, corrida, Carlos Barbosa
Jorge Antônio quer fechar o ano com chave de ouro em Carlos Barbosa

Corrida. Irmãs Vargas e Jorge Antônio representam o Vale do Caí na prova deste domingo, que encerra a temporada

Ser um atleta de alto nível demanda esforços em todos os 365 dias do ano. Treinamento, alimentação, repouso e muita dedicação são ingredientes essenciais para isso. O atletismo proporciona novas amizades, desafios e a chance de conhecer lugares encantadores. E, para fechar 2017 com chave de ouro, corredores de todos os cantos do Estado se encontram em Carlos Barbosa neste domingo, para a tradicional rústica da cidade, que tem neste ano sua 43ª edição.

irmãs, Débora, Denise, pódio, rústica
Irmãs Denise e Débora buscam o pódio na rústica deste domingo para encerrar 2017 da melhor forma possível

Entre as centenas de atletas, estarão as irmãs Débora e Denise Vargas e o maratonista Jorge Antônio Madri Ávila, representando o Vale do Caí. Durante o ano, corredores da região estiveram em vários lugares do Estado e até fora, e como não poderia ser diferente, também marcarão presença na prova que fecha 2017. O percurso adulto será de 6,6 km e terá largada às 9h, na Rua Prefeito José Chies (Rua Coberta). A chegada acontecerá na sede do Esporte Clube Cruzeiro da Linha 12.

As adversidades enfrentadas nas provas servem de motivação para os desafios seguintes. É assim que as irmãs Vargas pensam. “As dificuldades foram ultrapassadas com muita determinação. Sentimos o reconhecimento pelo esforço, e a luta não foi em vão. Foram muitas conquistas nesta temporada e, para 2018, virão novos desafios. Agradecemos a todos que compartilharam de nossas alegrias, em especial à Cabral Tintas e à nossa treinadora Patrícia Atkinson”, destaca Débora.

Campeã do Circuito Sesc de Corridas em 2017 no percurso de 10km da categoria comerciário, Débora participou de 24 provas durante o ano e não subiu no pódio em apenas três oportunidades. Uma temporada desgastante, repleta de quilômetros percorridos, mas, acima de tudo, vencedora. A irmã Denise participou de 22 corridas e ficou com o vice-campeonato do Circuito Sesc na categoria usuário, mas também empilhou medalhas durante o ano.

Sinônimo de persistência, Jorge Antônio Madri Ávila vai em busca do topo no pódio em Carlos Barbosa. O corredor de Capela de Santana vem de uma corrida cheia de obstáculos. Recentemente, conquistou o segundo lugar na Meia-Maratona de Estância Velha, no Vale do Sinos. No entanto, podia ter ficado com a primeira colocação, já que errou o percurso junto com outros quatro competidores, devido à má sinalização da prova, e concluiu o trajeto em 25 km, quatro a mais que o percurso original.

Camillo tem ano dourado; Well Runners ganha novas caras

Cezar Camillo, atleta, pódio, campeão, corrida
Cezar Camillo subiu oito vezes no lugar mais alto do pódio neste ano

Um dos maiores expoentes do atletismo na região é Cezar Camillo, 38 anos. O corredor da cidade mostrou evolução neste ano e subiu no pódio em 13 das 14 provas de que participou, foi oito vezes campeão geral, ficou na segunda posição em três provas e terminou em terceiro lugar em duas. Apenas na Meia-Maratona Internacional de Porto Seguro, na Bahia, o atleta não foi ao pódio, mas completou o percurso.

Cezar não estará em Carlos Barbosa no domingo e já encerrou sua participação neste ano. Ele se diz satisfeito pelo desempenho na temporada. “Queria ter corrido pelo menos umas 25 provas, mas, devido ao trabalho, não foi possível. Apesar disso, todas as provas que corri foram satisfatórias, mesmo ‘quebrando’ na Bahia. Acho que fui bem preparado, mas usei uma estratégia errada e paguei no percurso. Isso faz parte da disputa. Outras duas corridas em que fui bem foram em Arroio do Meio (32 km) e Ouro Preto-MG (26 km), provas de montanha”, ressalta.

Além do desempenho, os resultados obtidos fazem de 2017 um ano dourado para Camillo. “Foi um ano excelente, tive bons resultados. Não posso me queixar, foram 13 pódios em 14 provas. Não tive problemas com lesão, isso já é importante. Independente da grandeza do evento, um bom resultado sempre serve de motivação para a próxima prova”, salienta.

equipe, Well Runners, corrida, atletas, resultados
Equipe Well Runners ganhou novos membros em 2017 e obteve grandes resultados. Foto: arquivo pessoal Raíssa Joner

Em busca de patrocinadores para a próxima temporada, o atleta revela que vai mudar o foco em 2018. “Vou mais para as provas de montanha, sair um pouco do asfalto. Se possível, quero fazer algumas corridas fora do Estado. Vou atrás de mais apoiadores, pois preciso de ajuda nas despesas com inscrições, transporte, alimentação e hospedagem”, completa.

A assessoria esportiva Well Runners teve um 2017 de renovação. Com novas caras, a equipe contabilizou inúmeras conquista durante 2017. “Neste ano, deixamos de ser apenas um grupo de corridas de academia para ser uma assessoria esportiva independente. Participamos de muitas provas diferentes, ganhamos muitas premiações. Isso só nos mostra a determinação, a dedicação e o foco dos nossos atletas, que resultou em evolução nas corridas. Nossa equipe aumentou, mas a base e os objetivos permanecem”, destaca a coordenadora Raíssa Joner.

Deixe seu comentário