Diversão e união. Garotada se reúne duas vezes por semana na área verde do bairro

Treinos são divertidos e muito disputados pela garotada. Ninguém quer perder a jogada

“A maior riqueza do esporte é a união. Temos que trabalhar com a parte humana, com o coração, antes de tudo”. A frase é de Mauro da Costa Silva, 36 anos, idealizador e treinador do Projeto #JesusComanda Resgatar, que atende cerca de 30 meninos e atua na área verde do bairro Germano Henke. Desde outubro de 2019, a gurizada se reúne no local para jogar basquete, auxiliar um ao outro e se divertir.

Mauro, seu irmão Marcelo da Costa Silva, 33, e o jovem Luan Oliveira do Nascimento, de apenas 17 anos, correram atrás de uniformes e bolas de basquete para colocar em prática a ideia. Logo nas primeiras atividades, cerca de 20 jovens já integravam o Street Ball Promorar (nome do time do projeto). A partir daí, o grupo só aumentou e se une cada dia mais.

Atividades acontecem nas terças e quintas-feiras, sempre no turno da tarde

Os treinos acontecem nas terças (parte física) e quintas-feiras (trabalhos táticos e técnicos), a partir das 16h. Atualmente, a garotada joga em uma quadra de saibro. Entretanto, Mauro enfatiza que um projeto já está tramitando na Prefeitura Municipal para que, em breve, os trabalhos sejam realizados em uma quadra de concreto, no mesmo local.

Mauro afirma que o objetivo principal do projeto é fazer com que os jovens pratiquem esportes, aprendam a trabalhar em equipe e se afastem do “lado ruim” da vida. “Vivi muito na rua quando era mais novo. Vendi drogas, já fui preso, perdi casa, posso ficar apenas 20 dias por ano com meus cinco filhos. Já estive no fundo do poço, mas, com o tempo, consegui me libertar. É mais fácil eles (jovens) estarem aqui, jogando e brincando, do que envolvidos com drogas e armas. Quando está do lado errado, é muito difícil voltar”, declara.

Inspirado em Michael Jordan e Allen Iverson, o idealizador do projeto conta que o basquete faz parte da sua vida desde pequeno. “Minha mãe gostava muito da Hortência e me acordava na madrugada para assistir aos jogos. Então, aprendi a gostar do esporte desde criança. Hoje, o basquete está no meu sangue”, exalta.

Além dos treinos físicos, táticos e técnicos, as aulas do projeto na Promorar servem para unir a garotada. “Não é só jogar. É um ajudar o outro que tem dificuldades em determinada matéria na escola, no dia a dia, nos reunimos para fazer churrasco. Antes de ganhar, um time de verdade tem que aprender primeiro a perder. É a derrota que fortalece”, acrescenta Mauro.

Treinos divertidos e muito disputados
Quando Mauro dá a bola laranja aos garotos e anuncia o começo do “coletivo”, o sorriso estampado no rosto de cada um emociona o treinador. Competitivos, os meninos disputam cada centímetro da quadra de saibro com garra e determinação. Para arremessar, realizam cuidadosamente o movimento ensinado por Mauro nos treinamentos.

Mauro superou dificuldades e hoje realiza um sonho

Um dos idealizadores do projeto, o jovem Luan Oliveira do Nascimento admite que começou a gostar de basquete por causa de Mauro. “Conheço ele (Mauro) desde pequeno, vi tudo o que ele passou e não é fácil superar. Antes eu só jogava futebol, ele que me incentivou a jogar basquete e hoje gosto muito. Se essas crianças que estão aqui vissem o esporte na TV antes de participar do projeto, provavelmente não gostariam. O método de ensino do Mauro agrada e diverte a todos”, ressalta.

O pequeno Vinícius Orth, que escuta com atenção cada conselho do treinador, é um dos melhores arremessadores do grupo. “Aprendi a gostar de basquete por causa dele (Mauro)”, diz. O projeto busca recursos para oferecer uma melhor estrutura aos garotos. Mauro frisa que, jovens dos oito aos 17 anos interessados em fazer parte do projeto, devem comparecer à área verde do bairro Germano Henke nos dias de treinamentos. “Todos serão bem recebidos”, completa.

Deixe seu comentário