Em 2021 pode-se dizer que os brasileiros viveram altos e baixos durante a pandemia da Covid-19. Com aumento de casos graves, as UTIs registraram superlotação, e muitas mortes ocorreram devido à demora na chegada da vacina. No início da aplicação – principalmente com a segunda dose – a população ainda teve de enfrentar filas e esperar longos períodos devido à escassez de doses. Apesar disso, a vacinação avançou, e com isso, o número de casos e óbitos confirmados diminuiu drasticamente. Apesar da chegada de novas variantes, o ano termina com a pandemia bem mais controlada.

Janeiro
17 – Anvisa aprova o uso emergencial no Brasil das vacinas contra Covid-19 CoronaVac e Oxford. Momentos após, o governo de São Paulo aplicou a primeira dose da CoronaVac na enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos.

18 – Teve início a vacinação contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul. No Hospital de Clínicas de Porto Alegre, cinco pessoas receberam a primeira dose do imunizante. Todas elas pertencentes aos grupos de riscos prioritários.

19 – A enfermeira Simone Aurora Bernardi, de Bom Princípio, é a primeira moradora do Vale do Caí vacinada contra a Covid-19. Montenegro iniciou a vacinação horas depois. As três primeiras doses da CoronaVac foram aplicadas nas técnicas de enfermagems, Catiuscia Mafra e Luciana dos Santos e na enfermeira, Daniele Luana Vieira. Maratá, Brochier, São José do Sul e Pareci começaram sua vacinação no dia 20.

22 – A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) realiza a vacinação contra a Covid-19 de 28 indígenas Kaingang de Montenegro.

28 – Prefeitura de Montenegro confirma que três idosos morreram após um surto de Covid-19 em um Lar de Idosos do Município. As três vítimas são mulheres e os óbitos foram registrados na mesma instituição, que não teve o nome divulgado pela Administração Municipal.

Fevereiro
11 – Montenegro começa a imunização dos idosos acima de 85 anos contra a Covid-19. Na região a vacinação já para os idosos com 80 anos, mediante agendamento.

22 – Lotação das UTI’s preocupa gestores. Representantes de administrações e entidades de saúde de diferentes cidades da região realizaram encontro para organizar ações emergenciais.

25 – Rio Grande do Sul tem um dos seus piores momentos de contaminação desde o início da pandemia. Os leitos de UTI Adulto possuíam taxa de 91% de ocupação no Estado. No Hospital Montenegro os 16 leitos de UTI disponíveis estavam 100% ocupados, com duas pessoas aguardando por vaga.

Março
1 – Pandemia seguia grave no Estado. Em Montenegro, o HM e a Unimed Vale do Caí contavam ao todo com 25 leitos de UTI e 37 leitos fora de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), desses, a população contava apenas com dois leitos de internação e nenhum de UTI disponível, no dia.

2 – Rio Grande do Sul registra 100% de ocupação nos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Em Montenegro, já era registrado 108% de ocupação de leitos de UTI. Nos leitos de internação havia somente uma vaga disponível.

16 – Secretaria da Saúde de Montenegro pede por concentradores de oxigênio.

18 – Hospital Montenegro 100% SUS recebe cinco camas e cinco respiradores beira-leito do Governo do Estado, para a abertura de novos leitos. Mas, foi no dia 14 de abril que a instituição confirmou a habilitação dos leitos. O HM passou a contar, oficialmente, com vinte leitos de UTI.

30 – Prefeito Gustavo Zanatta assina um convênio com o Hospital Montenegro 100% SUS prevendo repasse de R$ 1,05 milhão do Município à casa de saúde.

Abril
1 – Região completa um ano do primeiro caso do novo coronavírus.

22 – Prefeitura de Montenegro cria o Ambulatório de Reabilitação Pós-Covid-19, buscando enfrentar as consequências da doença e devolver aos pacientes a saúde plena.

28 – Diocese de Montenegro realiza a doação de equipamentos ao Hospital Montenegro. O custo total investido na compra dos equipamentos foi de cerca de R$ 35 mil.

Maio
4 – Vacinação de pessoas com comorbidades começa em Montenegro e região.

4 – Uma fila se formou no Centenário para a segunda dose da CoronaVac. Muitas pessoas não foram atendidas e tiveram de voltar para casa.

14 – Com medo de novamente ficar de fora, centenas de montenegrinos se deslocaram ao Parque Centenário desde o início da noite para receber a segunda dose da vacina CoronaVac.

18 – Hospital Montenegro 100% SUS seguia com a sua ocupação acima dos 90%

19 – Secretaria da Saúde de Montenegro retifica número de casos recuperados. Após a análise do banco de dados, Montenegro passou de uma taxa de 21% para apenas 4% de casos ativos.

Junho
7 – Montenegro inicia a vacinação dos profissionais da educação contra a Covid-19. Em Pareci Novo, São José do Sul, Maratá e Brocheir já tem início a vacinação da população em geral.

11 – Secretaria da Saúde de Montenegro começa a vacinar a população em geral, sem nenhuma comorbidade.

24 – Governo do Rio Grande do Sul reafirma o compromisso de vacinar toda a população acima de 18 anos com a primeira dose até o dia 20 de setembro. No início de agosto, o governo dá nova previsão: 25 de agosto.

26 – Maratá é o primeiro município da região a ultrapassar a marca de 50% da população total vacinada com a primeira.

Julho
12 – Governo do Rio Grande do Sul informa a redução no intervalo entre as doses das vacinas da AstraZeneca e da Pfizer. O período entre a primeira e a segunda aplicação cai de 12 para 10 semanas.
Dez dias depois governo volta atrás e divulga o retorno do intervalo de 12 semanas. No final de agosto a redução voltou a valer, novamente.

19 – O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) informa a ocorrência de transmissão comunitária da variante Delta do coronavírus no Rio Grande do Sul. Primeiramente detectada na Índia.

22 – Região inicia agendamento da vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades.

Agosto
2 – A Secretaria da Saúde de Montenegro confirma a presença da variante Delta do novo coronavírus no município. Duas pessoas que residem na cidade foram contaminadas.

5 – A Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) doou uma Câmara Fria a Vigilância Sanitária de Montenegro.

21 – Feliz ficou em segundo lugar no prêmio Te Vacina RS, entre cidades com população entre 10 e 50 mil habitantes. Com a colocação, a cidade recebe um valor de R$ 50 mil.

Setembro
1 – Tenda instalada junto à Secretaria Municipal da Saúde tem os serviços concentrados junto à policlínica 24 horas, que funciona no mesmo complexo, devido baixa procura à noite e durante a madrugada.

17 – Com o recebimento de novas doses de vacina contra Covid-19, Municípios da região avançam na imunização contra o novo coronavírus através da aplicação da dose de reforço e também da vacinação de adolescentes sem comorbidades na região.

Outubro
14 – Indicadores mostram melhora da pandemia na região. Os números de confirmados, casos ativos e óbitos por Covid-19 estavam em ritmo de queda na região do Vale do Caí mais Triunfo. Para os gestores da região e os profissionais da saúde, o avanço na vacinação da população e o cumprimento dos protocolos são os grandes responsáveis para a melhora no quadro da pandemia.

18 – Em todo o Estado do Rio Grande do Sul, passa a ser obrigatória a apresentação de comprovante de vacinação contra a Covid-19 para participar de atividades consideradas de alto risco de contágio.

27 – A Secretaria da Saúde de Montenegro informa que o intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina Oxford/Fiocrus irá cair de 12 para oito semanas.

Novembro
12 – Prefeitura de Montenegro volta a registrar morte em decorrência do novo coronavírus. A vítima era um homem de 59 anos que estava internado na UTI. Desde o dia 13 de setembro, Montenegro não registrava nenhum óbito em decorrência de complicações do novo coronavírus.

29 – Devido a alguns casos de Covid-19 na EMEI Lisane Schneiders Lutckmeier, as secretarias de Educação e de Saúde de Pareci Novo realizaram a testagem rápida em todos os funcionários. Nenhum profissional na ativa foi positivado.

Dezembro
3 – O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirma a primeira pessoa com a variante ômicron do coronavírus no Rio Grande do Sul.

11 – Montenegro inicia a aplicação de dose reforço com a vacina do laboratório Janssen.

16 – JBS Montenegro é condenada por negligência durante a pandemia. A empresa deverá pagar R$ 1,5 milhão como dano moral coletivo; valor reversível a projetos sociais da região.

27 – Secretaria da Saúde (SES) determina que a vacinação contra a Covid-19 será feita em todas as crianças de 5 a 11 anos que forem levadas pelos pais ou responsáveis aos pontos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS), sem exigência de prescrição médica.

Deixe seu comentário