Morumbi – São Paulo
Com capacidade para 67 mil pessoas, a casa do São Paulo será o palco de abertura da Copa América. Obras foram feitas nos vestiários, um novo sistema de iluminação foi implantado e o estádio ganhou dois telões como os que existem nas casas do Palmeiras e Corinthians. O Morumbi deixou de entrar entre os palcos da Copa de 2014 porque o São Paulo e o Comitê da Cidade de São Paulo não entregaram as garantias financeiras referentes ao projeto ao Comitê Organizador Local da Copa. Mesmo fora do Mundial, o estádio recebeu algumas obras para corrigir problemas estruturais e ser modernizado. O projeto da cobertura foi adiado e não tem data.

Arena Corinthians – São Paulo
A Arena Corinthians, conhecida como Itaquerão, foi construída para a Copa de 2014 e sediou a cerimônia de abertura e o primeiro jogo, entre Brasil e Croácia. Ela tinha a capacidade de 68 mil lugares, mas depois da competição, com a retirada das arquibancadas provisórias, teve seu espaço reduzido para 48 mil torcedores. Na copa, o Itaquerão sediou quatro jogos. A direção do Corinthians chegou a pedir para seu estádio ficar fora da Copa América, alegando falta de vantagens financeiras. Com a desistência do Palmeiras em ceder sua arena, tendo em vista a necessidade de remover as propagandas, a Conmebol chegou a um entendimento com o Corinthians.

Mineirão – Belo Horizonte
O principal estádio do estado de Minas Gerais é o Governador Magalhães Pinto, conhecido como Mineirão, palco de inúmeras finais de competições nacionais e internacionais. Depois de um processo de reforma e modernização de quase três anos, o novo Mineirão foi entregue em 21 de dezembro de 2012. O estádio de Belo Horizonte recebeu três jogos da Copa das Confederações, inclusive a emocionante vitória brasileira sobre o Uruguai na semifinal, e foi palco de mais seis confrontos na Copa do Mundo, incluindo uma das semifinais. Na área externa, foi construída uma esplanada com 80 mil m² e a capacidade do estádio é para 65 mil pessoas.

Arena do Grêmio – Porto Alegre
Porto Alegre receberá três partidas na fase de classificação, uma das quartas de final e uma das semifinais da Copa América. A moderna Arena do Grêmio, inaugurada em dezembro de 2012 e localizada em uma região próxima ao Aeroporto Salgado Filho, será o palco dos confrontos. Administrado por uma parceria entre o Grupo OAS e o Grêmio, sua capacidade oficial é para 55 mil lugares. Para a construção da Arena, o Grêmio cedeu o estádio Olímpico para a OAS, mas até hoje a posse ainda não foi transferida, devido a um impasse jurídico entre o clube e a construtora. Com camarotes e cadeiras próximas ao gramado, a Arena foi construída para ser um complexo multiuso.

Arena Fonte Nova – Salvador
Salvador foi uma das sedes da última Copa América realizada no Brasil, em 1989, e abrigou a decisão do terceiro lugar na Copa das Confederações em 2013. Seu principal estádio, a Arena Fonte Nova, foi modernizada para a disputa da Copa do Mundo de 2014 e receberá quatro jogos na fase de grupos e um jogo nas quartas de final nesta edição da Copa América. A arena, na verdade, é nova, pois a antiga estrutura foi demolida para abrigar as modernas instalações com capacidade para 50 mil pessoas. O antigo estádio foi inaugurado em 1951 e foi fechado em 2007, depois que uma parte do anel da arquibancada superior desabou, matando sete pessoas.

Maracanã – Rio de Janeiro
Inaugurado para a Copa do Mundo de 1950, o Estádio Mário Filho, nome oficial dado em homenagem a um famoso jornalista esportivo, viveu momentos marcantes na história do futebol mundial. Foi palco da final de duas Copas do Mundo, de 1950 e 2014, da final do futebol masculino nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e ainda viu o milésimo gol de Pelé. Completamente renovado para a Copa do Mundo de 2014, o Maracanã continua a ser o maior estádio do Brasil, com aproximadamente 78 mil lugares, e receberá pela segunda vez uma final da Copa América – a primeira foi na edição de 1989. Na fase de grupos, serão três jogos.

Deixe seu comentário