Tite diz que não tem obrigação por resultados, mas a torcida exige a vitória. Lucas Figueiredo/CBF

Comandados de Tite entram em campo com a obrigação do título

A Seleção Brasileira estreará no dia 14 de junho, contra a Bolívia, no jogo de abertura que será disputado no estádio do Morumbi, em São Paulo. Os comandados de Tite entrarão em campo com a pressão de conquistar o título. Muito mais que isto, o Brasil precisará apresentar rendimento em campo numa fase na qual as pressões sobre o treinador começam a ganhar força, ainda mais considerando a eliminação na última Copa.

O segundo jogo da fase de grupos será contra a Venezuela, no dia 18, na Arena Fonte Nova e fecha a primeira fase contra o Peru, na Arena Corinthians, no dia 22. Caso se classifique como primeiro do grupo, fará as quartas de final na Arena do Grêmio, no dia 27. Caso o Brasil fique em segundo, jogará no Maracanã, dia 28.

Sem Neymar, cortado devido ao rompimento do ligamento do tornozelo do pé direito no amistoso contra o Catar no último dia 5, a grande incognita é se algum jogador poderá assumir o protagonismo. Segundo analistas, a arma de Tite agora será o coletivo.

Após o sorteio da Copa América, em janeiro, Tite descartou que o Brasil tenha obrigação de ser campeão. Ele não se considerou obrigado a ter resultado e sim ser correto, competente e buscar estilos diferentes para a seleção.

Eduardo Villegas treina a representação da Bolívia. FBF/Divulgação

Bolívia fará o jogo de abertura
A seleção da Bolívia disputará a partida de abertura da Copa América enfrentando o Brasil. Comandada pelo técnico Eduardo Villegas, a Bolívia aposta no atacante Marcelo Moreno, nome conhecido dos brasileiros, que jogou e fez carreira em equipes como Cruzeiro, Flamengo e Grêmio, para surpreender seus oponentes no torneio.

As participações bolivianas na competição não são boas. Entre as últimas sete edições, obteve apenas uma vitória, quando derrotou o Equador por 3 a 2, em 2015. O selecionado tem ainda oito empates e 13 derrotas no período.

A última vez que a Bolívia enfrentou o Brasil foi em outubro de 2017 pelas Eliminatórias da Copa. Na altitude de La Paz, a partida ficou no 0 a 0 e, no Brasil, os bolivianos foram goleados por 5 a 0. Villegas espera, pelo menos, empatar contra o Brasil.

Venezuela nunca foi campeã
A Venezuela é uma das duas seleções que nunca conquistou a Copa América – a outra é o Equador. Seu melhor resultado aconteceu na Argentina, em 2011, quando terminou em quarto lugar. Treinada pelo ex-goleiro da seleção, Rafael Dudamel, a Venezuela aposta em nomes que atuam em grandes competições internacionais, como Salomón Rondón, Darwin Machís e Tomás Rincón. O futebol venezuelano vem evoluindo e não é por acaso que, em 2017, a equipe venezuelana Sub-20 terminou em segundo lugar no Campeonato Mundial da categoria, disputado na Coréia do Sul.

Guerrero é o destaque da Seleção Peruana. Divulgação

Peru busca terceiro título
A equipe peruana acredita na boa fase para voltar a ser campeã da Copa América, título conquistado em 1939 e 1975. Liderada pelo técnico argentino Ricardo Gareca, depois de 36 anos, o selecionado chegou na Copa da Rússia em 2018. Os peruanos têm nomes conhecidos no futebol brasileiro, como Christian Cueva (Santos), Miguel Trauco (Flamengo) e, principalmente, Paolo Guerrero (Internacional). Em todas as suas últimas oito participações na Copa América, o Peru passou de fase. A última vez que não conseguiu foi em 1995. A melhor campanha recente foi em 2015, quando chegou em terceiro lugar.

Deixe seu comentário