CANDIDATO A PREFEITO apresenta suas propostas para Pareci Novo

 

Quem é Inácio Francisco Mendel?
Todo mundo já me conhece na minha comunidade de Despique. Eu sou um líder lá na comunidade e até já faço parte de muitas entidades lá, sociedades, escola, associações, igreja. Também participei do sindicato do Pareci Novo e participei de conselhos de Prefeitura.

O que motivou o senhor a concorrer?
Eu ajudei todo mundo, sempre. Aí o pessoal “eu acho que tu tem condições de pegar uma Prefeitura do jeito que tu trabalha”. Em cima disso aí, eu me candidatei para ser prefeito do nosso Município. Eu sei que eu tenho condições de pegar uma Prefeitura. Eu estou preparado para isso.

O senhor foi eleito duas vezes para o cargo de vereador. No que essa experiência pode lhe ajudar caso seja eleito?
Eu, como vereador em dois mandatos, consegui bastante emendas de Brasília. E eu tenho certeza que, como prefeito, eu tenho bastante acesso em Brasília e vou conseguir muita emenda de Brasília. Porque, hoje em dia, para tu governar um Município, só com recurso do Município tu não consegue. E se tu não tem acesso em Brasília é bem difícil. Eu sei que eu tenho, meu vice também, bastante contato lá em Brasília com senador e deputados federais. Eu tenho certeza que a gente vai fazer um bom trabalho.

Os acessos à área central de Pareci Novo pela ERS-124 oferecem perigo aos motoristas e pedestres sendo também, frequentemente, palco de acidentes. O trecho é de responsabilidade do Estado, mas, caso eleito, o senhor pretende fazer algum ação para melhorar esse acesso?
Até, como vereador, a nossa bancada já conseguiu bastante coisa. Até a pintura no acesso do Matiel, a gente pleiteou e no fim foi feito. Tudo isso a gente está fazendo trabalho como vereador. E, com certeza, como prefeito, eu também quero fazer um convênio com o Estado para fazer esse acesso, as rótulas do nosso Município.

Entre as propostas apresentadas no projeto de governo da sua candidatura está o de asfaltar, no mínino, 10 quilômetros de estradas. Já há em mente quais trechos devem receber pavimentação? E como conseguir o recurso para viabilizar essas obras?
Nós temos, como no Despique, tem um trecho, que é o Morro Santo Antônio, que ia ser ligado com Harmonia. Tem Coqueiral, também. Também tem a Vila Progresso e o Bananal. Então, esses quatro trechos. E nós temos bastante…até o Osmar Terra estava aqui no nosso Município e ele garantiu que nós íamos ter apoio dele para asfaltar isso aí. E a gente pretende fazer isso aí.

Para o senhor, quais ações o Executivo pode tomar para diminuir as perdas de produtores em casos de seca?
A nossa ideia é de fazer açudes em todas as localidades. A água é prioridade. Depois, a gente também quer fazer uma parceria com esses proprietários, esses produtores, para, se caso faltar num lugar, a gente pegar água desse lugar e atender todos os viveiristas, produtores, todo mundo que necessita dessa água.

Na agricultura, como vocês planejam incentivar esse setor?
Na Agricultura tem o bônus, hoje, e nós queremos aumentar esse bônus em 50%. Hoje, atualmente, é R$ 750,00 o bônus. Nós queremos aumentar isso para R$ 1.100,00. Também, esse bônus, atualmente, só pode ser usado em uma agropecuária do Município e também no posto de gasolina. Nós queremos ampliar para todo o Comércio isso aí. Eu acho que seria muito bom não só comprar em dois estabelecimentos. Tem pessoas, às vezes, que poderia usar em lojas, em mercados, em qualquer estabelecimento.

Entre as propostas do seu plano de governo está a de criação de um distrito industrial no Município. Onde implantar esse espaço?
Até, sobre esse distrito industrial, nós temos uma área em que hoje tem uma lei que devia ser nessa área do Despique. Até, a ideia da oposição (atual administração), é fazer um loteamento popular, mas não tem lei pra isso. A gente quer botar o distrito industrial nessa área.

Como atrair empresas para esse local?
Até tem empresas novas que, às vezes, precisam de uma ajuda. A gente vai incentivar essas empresas, também, para ajudar. E se tiver uma de fora, não vai ser uma empresa muito grande, também, naquele área, que é uma área pequena.

De que forma viabilizar esses incentivos?
A Prefeitura, no caso, ia dar um terreno e a construção deveria ser por conta das empresas. Que nem, eles (atual administração) querem fazer um loteamento popular. A nossa ideia é de fazer um condomínio habitacional. Até, nós já temos uma área em cima disso aí onde a gente vai trabalhar com o apoio do governo federal. A gente também quer implantar o condomínio habitacional, que é uma necessidade hoje em dia.

O plano de governo apresentado pela sua coligação fala em adequar o número de secretarias às necessidades do Município. Hoje, conforme divulgado no site da Prefeitura de Pareci Novo, são sete as secretarias municipais existentes. O senhor acredita ser necessário reduzir ou aumentar esse número? Como fazer essa adequação?
Nós temos nove secretarias. Só tem sete atuantes, mas nós temos nove. Eu quero extinguir quatro. É o nosso plano de governo porque nós precisamos de mais economia. A gente vê que Municípios vizinhos têm cinco secretarias e funciona muito bem. A gente vê que nós, com cinco secretarias, conseguimos administrar o nosso município.

Quais secretarias poderiam deixar de existir?
No caso, eu ia deixar Educação, Saúde, Obras, Agricultura e Administração. Essas cinco secretarias são a base do nosso governo.

Na área da Saúde, há uma proposta de melhorar o atendimento nos postos de saúde. De que forma fazer isso?
Nós queremos estender um pouco o horário. Hoje, é até as 20h. Nós queremos fazer até as 22h e abrir em sábados, também.

Quais são seus planos para o Seminário São José?
Sobre o Seminário, já tem um recurso aprovado para ajeitar o telhado, como o prefeito atual colocou. Nós queremos trabalhar em cima disso aí para terminar esse Seminário. Vamos trabalhar com emendas federais. Com recursos próprios é difícil, mas tem como conseguir emendas federais e nós vamos trabalhar em cima disso aí.

Uma vez concluído o restauro, o senhor entende que esse espaço pode ser utilizado para quê?
Primeiro, nós queremos terminar esse Seminário. Botar uma escola técnica, isso tudo pode ser pensado no futuro. A ideia é de usar aquilo lá; tem que ser aproveitado.

Também no seu plano de governo cita o desejo de ampliar as vagas na creche. Como possibilitar isso?
Até, nós temos no Despique um prédio onde já tem a creche e dá pra ampliar mais ainda. Tem espaço. E nós temos cadastrado, também, uma creche em Brasília. A nossa ideia é de botar no Pareci, onde tem, agora, o parque de máquinas da Prefeitura. Isso tem que ser retirado porque lá não é o lugar certo para deixar o parque de máquinas por causa do barulho e tudo mais. Não é o ambiente certo. A nossa ideia, então, é de botar a creche lá. E também tem duas escolas já cadastradas para trazer para o Matiel e para o Bananal. Estão cadastradas em Brasília já e estamos esperando a liberação.

Um projeto regional que envolve muito Pareci Novo é a construção de nova ponte ligando Pareci Novo a São Sebastião do Caí. Como o senhor acha que pode ser viabilizado esse projeto?
Isso é necessário. Nós vamos fazer parcerias com os Municípios e, certamente, contando com apoio federal. Nós até já conversamos com o pessoal lá em Brasília, um deputado bem acessível; está bem encaminhado e vamos pedir apoio deles. Somos obrigados a fazer isso aí; porque as outras três pontes que nós temos lá não suportam mais caminhões pesados. A ideia é de fazer uma ponte nova; fazer uma parceria com os municípios até para tirar o movimento do centro do Caí. Está no nosso projeto.

O senhor que deixar uma mensagem para a comunidade de Pareci Novo?
Ao povo do Pareci, a gente vai trabalhar em conjunto e, com certeza, a gente vai fazer um bom trabalho. Eu estou pedindo voto hoje e a gente vai trabalhar em prol da comunidade do nosso Município e fazer um bom trabalho. No dia 15, vote 15 e um forte abraço a todos.

Deixe seu comentário