Professora há 21 anos, mãe de três meninos e moradora do bairro Estação há 9 anos.
Essas três condições são muito especiais na minha vida. São, por si só, escola de vida e lugares de muita aprendizagem e trocas.

Sempre quis ser professora. Desde cedo, ensinar me trazia sentimentos de alegria e satisfação. Assim que li Paulo Freire pela primeira vez, fui arrebatada por um grande sentimento de justiça social. Entendi, assim como ele diz, que “se a educação sozinha não transforma, sem ela tampouco a sociedade muda”.

A categoria dos professores precisa estar representada, só assim teremos voz e vez para a valorização que tanto merecemos!
Ser mulher e mãe nessa sociedade ainda tão carente de igualdade de gênero, onde se sobrecarrega mulheres e nossos direitos mais básicos são desrespeitados, também é motivo de muita luta.

Ser moradora do bairro Estação me fez aguçar ainda mais o olhar para a desigualdade social. Quando cheguei aqui, logo soube da luta de anos por parte dos moradores para que houvesse melhora na infra-estrutura. As diversas demandas do bairro já foram muitas vezes apresentadas, também pela Comissão de Moradores de que eu participava.

As pautas progressistas sempre estiveram presentes na minha trajetória enquanto ativista e educadora.
Valorização dos professores, educação antirracista, prevenção às drogas, Igualdade de gênero, respeito à diversidade e justiça social são algumas das pautas que defendo!
Acredito que minha trajetória e a vontade de mudança justifique bem a decisão por ser vereadora em Montenegro.
Agora é nós por nós!

Monaliza Furtado – PT

Deixe seu comentário