Existência irregularidade na pista pode ser causa da batida entre os veículos, que resultou na morte do jovem Cássio de Azeredo

Motociclista Cássio de Azeredo, 28 anos, morreu na colisão frontal contra um Gol. Família acredita que irregularidade na pista pode ter causado acidente

O jovem Cássio de Azeredo, 28 anos, vítima de um acidente no começo desse sábado na ERS-411, iria visitar a namorada Graziela Mello, moradora de Canoas. Como costumava fazer a cada 15 dias, ele seguia em uma Honda Titan 150cc de Brochier até a Rodoviária de Montenegro, de onde pegaria um ônibus para se encontrar com a amada. A colisão frontal com um Gol, no entanto, interrompeu de forma trágica o plano do casal. Ele morreu no local.

A causa do choque no quilômetro 0 da via, pouco depois do antigo prédio do Frigonal, provavelmente, seja a existência de uma irregularidade na pista a cerca de cinco metros de onde ocorreu a colisão. A vítima perdeu o controle da moto, invadiu a pista contrária e se chocou contra o carro. Com o impacto, o jovem foi arremessado a oito metros de distância após atingir o para-brisa.

O trabalho da perícia terminou por volta das 11h. De acordo com informações obtidas pela reportagem do Jornal Ibiá no local, os dois veículos transitavam dentro do limite permitido na rodovia. A falta de marcas de frenagem evidencia o fato de a batida ter ocorrido de forma abrupta, sem dar tempo de algum dos condutores evitar o choque.

O motorista do Gol, Carlos Alexandre Santanna, 26, ainda tentou desviar da moto, mas não teve sucesso. Ele esperou a chegada do socorro e da Polícia Rodoviária Estadual, só saindo do local pouco tempo antes do fim do trabalho da perícia. Ele não teve ferimentos graves.

Os Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) atendeu a ocorrência e, quando chegou ao trecho da acidente, confirmou a morte de Cássio. De acordo com a irmã da vítima, Joice de Azeredo, o jovem trabalhava como ajudante de caminhoneiro em Brochier, onde morava próximo ao campo do Juventude, há cerca de um ano. Era natural de Montenegro, não tinha filhos e possuía o ensino fundamental. Seu corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal, em Porto Alegre, para a necropsia.

Joice também acredita na possibilidade de a tragédia ter sido causada devido às condições da estrada. “É uma reta, não tem com ter se perdido sozinho. Ele sempre se cuidava”, ressaltou. Destacou, ainda, a existência de buracos, chamados por ela de “panelões”, em outros trechos da estrada. A reportagem tentou contato com a namorada dele. Muito abalada com a perda, ela preferiu não se manifestar.

João Osvaldo de Azeredo mora em frente ao local do acidente há cerca de seis anos. Ele acordou com o barulho da batida e foi para frente de casa para descobrir o que havia acontecido. Observou o estado emocional do condutor do Gol. “O rapaz estava em um desespero só, mas não teve culpa nenhuma”, comentou. Ainda que não pareça, em um primeiro momento, ter relação com este caso, ele também ressalta ser comum condutores excederem o limite de velocidade no trecho.

Cássio de Azeredo

Vítima não possuía CNH
Cássio de Azeredo não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dirigir moto. Além disso, o veículo estava com o licenciamento vencido desde 2012, mas não era do jovem. O proprietário vai responder por entregar a motocicleta para pessoa não habilitada.

Já o condutor do Gol, Carlos Alexandre Santanna, se recusou a fazer o teste do bafômetro. Segundo a PRE, ele alegou ter bebido na noite anterior e, por isso, estaria com receio de que o resultado fosse positivo. Contudo, o rapaz não apresentava sinais de embriaguez e estava lúcido logo após a batida.

Santanna sofrerá a mesmas penalidades administrativas do motorista flagrado embriagado pelo teste. Multa de R$ 2.934,70, recolhimento da CNH e suspensão do direito de dirigir por um ano.

Deixe seu comentário