Na tarde desta segunda-feira, 4, o vereador de Montenegro Talis Ferreira (PR) protocolou uma representação no Ministério Público de Montenegro a fim de questionar e solicitar investigação quanto ao preço dos combustíveis na cidade. Para o parlamentar, os cerca de 15 postos de combustíveis estão praticando preços semelhantes, incluindo os que atuam sem bandeira de distribuidora.

De acordo com o documento, a diferença encontrada no valor cobrado pelas revendedoras por litro dos produtos, principalmente de gasolina, não ultrapassa os R$ 0,05 na maior parte destes estabelecimentos. “Em outras cidades como Capela de Santana e até mesmo Pareci Novo o combustível está mais baixo”, aponta Talis.

O vereador aponta, na representação, a formação de Cartel, quando empresas concorrentes realizam acordo explícito ou implícito para fixação de preços ou cotas de produção. Porém, Ferreira cita a lei 8.884 de 1994 que reprime infrações contra a ordem econômica, evitando a formação de cartéis. “Também entraremos com um pedido ao Comdecon (Comissão Municipal de Defesa do Consumidor) para que intensifiquem a fiscalização nos postos de combustíveis”, acrescenta o vereador.

Agora, o proponente da representação no MP da cidade espera que a investigação seja aberta para apurar o motivo do preço tabelado no valor do combustível comercializado na cidade. Além disso, Talis Ferreira acredita que o preço possa cair nas bombas, mesmo que o valor esteja na média estadual e regional. No Estado o litro da gasolina estava custando na semana passada, em média, R$ 4,313. Em Porto Alegre, o preço médio nos postos estava em R$ 4,275 até o final da última semana.

Deixe seu comentário