Rebanho deve ser vacinado até o dia 31 de maio Foto: divulgação internet

Imunizações iniciaram segunda-feira e seguem até o fim do mês. Neste ano, não há distribuição gratuita de vacinas

Desde segunda-feira, os produtores rurais de todo o Estado já podem procurar a vacina contra a febre aftosa e imunizar o rebanho de bovinos e búfalos. De acordo com a Secretaria de Agricultura estadual, a expectativa é de que sejam imunizados 13,8 milhões de cabeças de gado, em cerca de 330 mil propriedades rurais. Esta etapa da vacinação vai até o dia 31 de maio.

Em Montenegro, de acordo com o técnico agrícola da Inspetoria Veterinária, Daniel Silva, a expectativa é de vacinar cerca de 90% a 95% do rebanho, que é de 15 mil animais.

Para vacinar o gado, o agricultor deve procurar uma agropecuária credenciada, adquirir as doses e aplicar em todos os animais. Depois da imunização, o produtor deve realizar a comprovação na Inspetoria Veterinária, dentro do prazo legal. Nesse caso é preciso apresentar nota fiscal da compra e declarar o rebanho vacinado por categoria e sexo.

O produtor que não vacinar os animais no prazo ou não declarar que o rebanho foi imunizado paga multa. Sem a proteção, o produtor não tem autorização para transitar com os animais e não pode comercializar produtos como leite e derivados e carne.

Durante o ato que marcou a abertura oficial da campanha de imunização do rebanho gaúcho, o secretário estadual de Agricultura, Ernani Polo, disse que é fundamental o apoio dos produtores, uma vez que a vacina não é mais distribuída de forma gratuita desde o ano passado. “Precisamos do apoio do produtor para que faça a vacinação em seu gado, imunizem corretamente seus animais e auxiliem os técnicos da secretaria nesta importante ação. O propósito é manter a sanidade do rebanho gaúcho. Buscamos cada vez mais a elevação de nosso status sanitário e isso passa por uma campanha bem sucedida”, argumentou Polo.

Em todo o País, a meta é atingir 198 milhões de animais de um rebanho de 217,5 milhões — o número representa mais de 90% do rebanho de todo o Brasil.

A febre aftosa é uma doença viral, altamente contagiosa, que afeta animais de casco com fenda, como bois, búfalos, cabras, ovelhas e porcos. A transmissão ocorre principalmente por via respiratória e contato direto ou indireto com animais infectados. No Rio Grande do Sul, não há registros da doença desde 2001. Com a imunização, o Estado permanece como área livre para a febre aftosa.

Deixe seu comentário