Depois de devolverem a carteira ao dono, o empresário fez um registro da equipe de trabalhadores que fizeram a diferença. Foto: komac (arquivo pessoal Erci)

Quebrando preconceitos. Grupo de trabalhadores da Komac encontram carteira com dinheiro e cartões de crédito, procuram o dono e devolvem tudo

Em uma sociedade em que os valores estão cada vez mais questionáveis e o preconceito ainda é muito presente, um grupo de funcionários da Komac – empresa responsável pela coleta do lixo na cidade – fizeram a diferença. Após encontrarem uma carteira, eles buscaram pelo dono para devolver com tudo que tinha dentro, entre dinheiro e cartões de crédito, mostrando que ainda existe honestidade.

O fato ocorreu na rua Porto Belo, no bairro Centenário, quando o empresário Erci Nonnemacher, 57, estava levando a filha ao colégio e acabou esquecendo a carteira em cima da capa da carroceria de sua caminhonete. Ao arrancar com o veículo, o acessório caiu nas proximidades de sua residência e mais tarde foi encontrado pela equipe da Komac que realizava a coleta de lixo. “Eles abriram a carteira, pegaram um documento e foram procurando até chegar à minha casa para gentilmente me devolverem”, disse Nonnemacher, que ficou emocionado pela atitude.

“Por serem pessoas que trabalham em um serviço visto com muito preconceito pela sociedade, muitas vezes são marginalizados. Já ouvi coisas do tipo ‘não deixa o portão aberto’, se referindo a esses trabalhadores como uma possível ameaça, o que sempre discordei. Com essa iniciativa, eles se mostraram fantásticos”, ressalta Nonnemacher.

A naturalidade com que o colaborador da Komac Rodrigo Luiz dos Santos, 27, conta como tudo ocorreu, deixa explícitas as profundas raízes preconceituosas presente na sociedade. Para ele e os seus colegas Alef de Quadros, Leandro de Melo Mateus e Andrio Couto, o ato de devolver a carteira com tudo que havia dentro foi algo que qualquer pessoa inquestionavelmente deveria fazer. “O que não é meu eu não quero”, frisou Luiz. “Faltava dois para o pagamento e todo mundo estava sem dinheiro, e quando se é pai de família, qualquer quantia ajuda, mas não pensamos duas vezes e devolvemos tudo, o que foi bem mais gratificante”.

O empresário destaca a importância da atitude diante da situação que o Brasil atravessa, principalmente no campo político, onde os representantes do povo colocam em dúvida a todo tempo o caráter e moral da população. “É esse tipo de cidadão [colaboradores da Komac] que o país precisa, já que o resto nós temos”, conta Nonnemacher, afirmando que irá guardar a história como um exemplo. “Vou me espelhar nisso no dia a dia e quando tiver que tomar alguma decisão, irei lembrar dessas pessoas”, revelou o empresário.

Apesar da equipe não ter pedido nada em troca do gesto, como forma de agradecimento o empresário se ofereceu a pagar uma rodada de pastel, deu uma pequena ajuda em dinheiro, além de sua amizade e admiração pela empresa e aos funcionários da Komac.

Preconceito é diário
Enquanto contava sobre o exemplo de honestidade, o colaborador da Komac Rodrigo Luiz dos Santos, 27, revelou histórias tristes por trás do trabalho dos profissionais fundamentais para a limpeza da cidade. “Isso já é normal para nós”, lamentou Rodrigo, se referindo ao preconceito vivido diariamente. “Há situações em que as pessoas ficam com medo enquanto realizamos os serviços de coleta do lixo por acharem que vamos roubar algo, quando na verdade só estamos deixando a cidade limpa”.

Mesmo diante dos relatos difíceis, Luiz encara a situação de cabeça erguida. “Ficar com raiva não adianta e só dificulta mais ainda. O jeito é fazer nosso serviço honestamente e esperar que uma hora as coisas vão melhorar”, disse o colaborar da Komac, que não guarda ressentimentos dos episódios ruins.

Deixe seu comentário