Evento contou com mais de 430 inscritos e trajeto passou por diversas localidades do Município e cidades vizinhas

O ronco do motor de motos e quadriciclos se fez ouvir pelo interior de São José do Sul e de cidades vizinhas na manhã deste domingo, dia 27, com a 3º Trilha do Ventil. Organizado pelo grupo Trimaníacos, o evento contou com mais de 430 pilotos inscritos e desafiou seus participantes com íngremes subidas e barro em diversos pontos. A adrenalina foi garantida para quem pilotava e também para o grande número de pessoas que acompanhava a perícia dos pilotos em diversos trechos da trilha.

Grupo de amigos de Carlos Barbosa aprovou a 3ª Trilha do Ventil

Integrante do grupo Trilha Mil Grau, de Carlos Barbosa, Guido Cervo, 28 anos, participou pela primeira vez da Trilha do Ventil e, depois de passar pelo desafio, já pôde dar um veredicto: “É muito show a trilha”. Além dele, outros 15 participantes do grupo da Serra estiveram presentes. “É um das melhores trilhas que a gente já fez. Ela está bem sinalizada e bem aberta”, observou Jhonatan Macena, de 19 anos.

Com o calor aumentando conforme o sol subia, o grupo aproveitou a parada após o desafio para se refrescar com água e refri. “Esquenta, mas tem uma parada para o ‘gole’”, garantiu Guido. Além disso, os pilotos carregavam nas costas uma mochila com água para tomarem durante o trajeto.

Lani e Rita participam juntos de trilhas

Após participar da segunda edição do evento de moto, o piloto Lani Mayer, 51 anos, resolveu mudar de veículo nesse ano. Vindo de Travesseiro, ele participou da trilha ao lado da esposa Rita Mayer, 47 anos, com um quadriciclo. “O programa de domingo é trilha de ‘quadri’ e no sábado é de moto”, garantiu Lani. Rita contou que com o marido, os dois filhos e um nora trilheiros, ela acabou também entrando no clima. “Comecei a ir de carona numa trilha de outubro do ano passado. É ótimo ir como caroneira”, comentou. Apesar disso, Lani observou que há momento em que eles trocam de lugar e quem acelera e pilota é Rita.

Grupo de amigos de trilheiros foi até o desafio para acompanhar a passagem deles

Até mesmo quem não está em cima das motos ou dos quadriciclos se diverte com a trilha. Ao lado de amigos de Poço das Antas, o marataense Márcio Konig, 20 anos, assistia aos participantes enfrentarem o desafio em Linha Canavial. “O pessoal do grupo (do qual ele faz parte) está participando, mas eu não tenho mais moto”, comentou. Ele faz parte do grupo Trilha da Esperança, de Maratá, e garante que assistir a passagem dos pilotos é uma forma de torcer e demonstrar parceria para com eles.

Presidente do Trimaníacos, Rodrigo Kremer, o Kigo, mostrou-se feliz com a realização do evento. “Hoje e ontem é só correria, mas vale a pena”, assegurou. Ele ressaltou que o grupo trabalho desde outubro para abrir a trilha. “Estou satisfeito, o evento chegou onde queríamos que chegasse”, afirmou. Kigo destacou ainda que na largada da trilha ocorreu uma homenagem à pequena Emily Silva, de um ano e sete meses, que veio a falecer após uma trágica fatalidade em sua casa na tarde de sexta-feira, em Brochier. O pai dela é integrante do Doguinhos Jeep Moto Clube, de Brochier, que realiza a Trilha do Carvão.

Confira uma galeria com imagens da trilha:

Deixe seu comentário