Íngreme subida em saibreira desativada desafiou os trilheiros

Recorde. 2.021 trilheiros fazem do evento brochiense o primeiro a ultrapassar dois mil inscritos no Rio Grande do Sul

Os 80 quilômetros de lama, estrada de chão e desafios da 4ª Trilha do Carvão que passaram pelo interior de Brochier, Montenegro e Maratá, foram percorridos por 2.021 pilotos oriundos de todo o Rio Grande do Sul e também de estados vizinhos. O número de inscritos representa um recorde, sendo o evento promovido pelo Doguinhos Jeep Motoclube o primeiro do gênero no estado a ultrapassar os dois mil inscritos.

Ontem, os aventureiros percorreram o trajeto que foi preparado ao longo de um ano pela organização, mas a festa já havia iniciado no sábado. Com ampla programação, a 4ª Trilha do Carvão englobou shows musicais, de wheeling e de borrachão. Até mesmo passeios de balão fizeram parte da promoção. Inclusive, o piloto Wellington Freitas fez sua inscrição de maneira antecipada para a trilha e ganhou no sorteio uma viagem no balão.

No meio do mato, barro dava o tom para a alegria dos participantes

Dentre as dezenas de grupos presentes em Brochier estava o Bananalama. A entidade de Corupá, Santa Catarina, conhecida por organizar o maior encontro de trilheiros do mundo – com registro no Guinness Book – esteve em Brochier como uma forma de retribuir a participação de todos os pilotos gaúchos no seu evento. “Fomos muito bem recebidos. Está tudo muito bem organizado, a estrutura da cidade está de parabéns”, destacou o presidente do Bananalama, Fábio Espindola, 39 anos.

Rodando mais de 700 quilômetros com outros 17 companheiros para chegar em Brochier, Fábio destacou que fazer trilha é uma forma de se unir. “São amizades que se criam e também faz a família se unir. Eu ando e meu filho também. É um esporte familiar”, reforçou o presidente do Bananalama. E, segundo Matheus Neis, presidente do Doguinhos Jeep Motoclube, a Trilha do Carvão é justamente um evento para unir todos. “Montamos toda uma estrutura pensando na família”, garantiu.

Matheus reforçou ainda a solidariedade existente entre os trilheiros, lembrando que parte do valor arrecadado com a trilha é revertido para a comunidade brochiense. “O Doguinhos sempre teve esse cunho social. Em três anos doamos mais de R$ 60 mil”, revelou. Ele salientou ainda que os 91 associados do clube trabalham o ano inteiro para realizar a trilha, além de contarem com um reforço no dia do evento. Ontem, eram 150 pessoas trabalhando na organização da maior trilha do estado.

Mar de capacetes: pelotões largaram cedo na manhã de domingo (acima).

Mais de R$ 40 mil em prêmios
Além da trilha e programação cultural, a 4ª Trilha do Carvão garantiu ótimos prêmios para seus participantes. Entre os inscritos foram sorteadas três motos Krypton. Os ganhadores delas foram Jeferson Padilha, de Lajeado, Gabriel Presente Bühler, de Caraá, e Djovani Ferrari Rosa, de Sapucaia do Sul.

Bom público acompanhou os pilotos na largada e também no meio da trilha (ao lado)

Já a TTR sorteada por meio de rifa ficou com Maciel Vogt, o popular Sombra, de São José do Sul. O segundo prêmio da rifa, R$ 500,00, foi para Roger van Gral. João Pedro Debastiani ganhou os R$ 300,00 do terceiro prêmio. Betinho Kuhn levou R$ 200,00 do quarto prêmio e Camila Reidel ficou com os R$ 100,00 do quinto prêmio da rifa.

Deixe seu comentário