Foto: Reprodução Facebook

A Polícia Civil ainda investiga o assassinato do tradicionalista montenegrino Gilberto Bittencourt Silveira, 49 anos, ocorrido em Bagé, na noite de quarta-feira. O acusado pelo crime, Rafael da Costa Pinheiro, 20 anos, foi preso pouco tempo depois. Ainda não se sabe se mais alguém participou da ação.

Foto: Reprodução Facebook

Por volta das 21h30, a Brigada Militar do município da região da Campanha foi acionada após moradores de uma rua em frente ao Kartódromo de Bagé ouvirem um tiro. Ao chegar ao local, os policiais encontraram a vítima já sem vida com um ferimento na cabeça. Ele estava no banco traseiro do seu veículo, um Space Fox. No momento, chegou a se pensar que se tratava de um ferimento feito com uma marreta, mas a perícia comprovou se tratar de um disparo de um revólver calibre 38.

As mãos do tradicionalista estavam amarradas com lacres, como os utilizados pelas forças de segurança em operações. Os pertences de Bittencourt como carteira, telefone celular, notebook, roupas e uma marreta estavam no interior do carro. Ainda assim, por enquanto, o caso é tratado como latrocínio.

Pouco tempo depois, a BM novamente foi acionada por pessoas que viram um Ford Ka prata abandonado próximo a uma passagem, que une a rua Zero Hora, do Jardim do Castelo, ao campo do Kartódromo. Ao verificar o local, os policiais militares encontraram o jovem. O carro apresentava danos causados por uma colisão, segundo a BM, possivelmente ocorrida na tentativa de fuga do local. “Como a guarnição agiu rápido, conseguimos prendê-lo logo após o crime”, comenta o capitão da Coorporação, Patrique Rolim Marques.

Gilberto Bittencourt Silveira era natural de Montenegro, mas residia em Bagé. Contabilista de formação, foi patrão do CTG Pampa e Minuano, Coordenador da 18ª Região Tradicionalista por quatro gestões e, atualmente, era conselheiro e colaborador efetivo da coordenadoria da RT.

Deixe seu comentário