Testemunhas estão sendo ouvidas na manhã desta quarta-feira. Réu deve falar após elas

Uma das três testemunhas que já falaram no caso do julgamento de Evandro Weber, 24 anos, pela morte de Kellen Bock reafirmou que no dia do acidente fatal havia consumido cerveja junto com o réu. A reafirmação partiu do caroneiro do Astra branco conduzido por Evandro Weber, que já havia dado tal informação em outro depoimento. Outra testemunha relatou ter visto o réu dirigindo embriagado em outras ocasiões e que no dia do acidente ele quase bateu no seu carro.

O juri popular segue com mais duas testemunhas sendo ouvidas. O réu será ouvido após a manifestação das cinco testemunhas. O julgamento ocorre desde as 9h30min desta quarta-feira, dia 30, no salão do juri do Fórum de Montenegro.

O acidente que vitimou Kellen ocorreu na tarde de um domingo, dia 5 de novembro de 2017. Ela conduzia uma motoneta Honda Biz no sentido Montenegro/Campo do Meio, quando voltava para casa, na localidade de Vapor Velho. A colisão ocorreu em uma curva, distante aproximadamente 100 metros do acesso à BR-470. A jovem morreu no local.

Conforme testemunhas, o veículo que seguia na direção oposta, um Astra branco, com placas de Montenegro, invadiu a pista contrária e atingiu a Biz frontalmente, parando cerca de 50 metros a diante do ponto de choque. A moto de Kellen ficou destruída e jogada no matagal ao lado da estrada, que não possui acostamento.

Deixe seu comentário