Reconhecidos. Cirne e Bettega têm carreira exitosa na Corporação e adotaram a Cidade das Artes como lar

A Câmara de Vereadores entrega, nesta quinta-feira, 2, o título de Cidadão Montenegrino a dois representantes da Brigada Militar: o tenente-coronel da reserva José de Jesus Cirne da Silva e o sargento Paulo Sérgio Bettega Pimentel. A homenagem ocorre durante sessão solene alusiva aos 146 anos de Montenegro. Além de terem atuação destacada no órgão, ambos adotaram a Cidade das Artes como lar. As três homenagens foram aprovadas por unanimidade na Casa.

Natural de Uruguaiana, Paulo Sérgio Bettega Pimentel ingressou na Corporação no início dos anos 90. Veio para Montenegro com a família em 2003. “Aqui criei praticamente todos os filhos, que estudaram na escola Januário Corrêa, depois no São João. Aqui faço o meu lazer, brinco com minha neta e vivo tranquilo”, lembra.

Bettega, à direita, em conjunto com seus companheiros, trabalha com amor

Atualmente no posto de sargento, ele integra o Pelotão de Operações Especiais (POE). Diferente do caso de muitos colegas de farda, o policial militar não tem nenhum parente na instituição em quem se inspirou. “Decidi ser policial por pura vocação, não tenho na família uma linhagem de policiais. Desde o início, entendia que precisava ser útil à sociedade, fazer o bem e ajudar as pessoas a conviverem melhor”, comenta.
Ao longo de sua trajetória, recebeu alguns reconhecimentos. Entre eles a medalha de honra ao mérito da Brigada Militar, a comenda do 5º BPM e a medalha de Serviço Policial Militar.

Casado com Fernanda Marques Bettega Pimentel, os dois são pais de três filhos, duas mulheres de 30 e 20 anos, e um homem de 27. A mais nova segue os passos do pai e, aprovada no último curso da BM, espera para ser convocada.

A grave crise financeira e falta de efetivo, frisa o sargento, não servem como desculpa para não fazer um trabalho de excelência. “Sabedor das inúmeras dificuldades do governo atual e o que o antecedeu referente ao atraso de salários e não menos grave a defasagem de efetivo, quero dizer que isso em nenhum momento foi motivo para desestimular da profissão, do ofício escolhido de servir e proteger. Carrego comigo a ética que a escolha da função de policial militar traz. A ética é um conjunto de princípios e valores morais que regem a conduta humana em sociedade e sendo assim tem impacto direto nas relações e atividades profissionais”.

Ao longo da carreira, Bettega participou de diversas ocorrências tensas, chamadas por ele como “de vulto”. Prisões de criminosos estão na rotina de cada plantão. “Mas são os gestos mais simples e espontâneos que gosto de deixar guardados. Gestos que deveriam ser naturais, mas na maioria das pessoas ficaram esquecidos. Um muito obrigado, um sorriso, uma simples e qualquer manifestação de que aquela pessoa que precisou e foi atendida pelo policial ficou satisfeita com o seu trabalho. “Isso é uma deferência toda especial de respeito que marca bastante o trabalho do policial”, comenta. A iniciativa foi do vereador Talis Ferreira.

“Fico imensamente feliz”, declara Cirne
Natural de Viamão, José de Jesus Cirne da Silva ingressou na Brigada Militar em fevereiro de 1984, sendo declarado aspirante à oficial em novembro de 1986. Passou pelo comando do Pelotão do Vale do Taquari e em outubro de 1994 transferiu-se para Montenegro.

O oficial está sensibilizado pelo reconhecimento de sua trajetória na Brigada Militar. “Fico imensamente feliz com a homenagem que estou recebendo. Estou residindo em Montenegro há 24 anos, aqui escolhi para morar e constituir a minha família. Também tive a oportunidade de comandar o 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), onde fizemos um trabalho integrado com as várias instituições do sistema de Justiça, segurança e cidadania”, lembra.

Atualmente, Cirne é tenente-coronel da reserva, mas mantém vínculo especial com o Estado para dar aula como professor convidado do Departamento de ensino da Brigada Militar. Casado com Helena Maichrzak, é pai de dois filhos. Álvaro, de 21 anos; e Juliana, de 15. Álvaro é funcionário público municipal e cursa Direito. Juliana, assim como o irmão já havia feito, estuda no Colégio Tiradentes da Brigada Militar em Porto Alegre.

O oficial também é integrante da Associação Brasileira do Estudo do Álcool e outras Drogas (ABEAD), por meio da qual ministra palestras para adolescentes em diversas escolas visando alertar para a importância da prevenção. Também faz parte do Comitê de Enfrentamento à Violência Sexual Contra a Criança e o Adolescente. A proponente da homenagem foi a vereadora Josi Paz.

Veterinário será homenageado
Também receberá o título de Cidadão Montenegrino Jorge Alberto de Almeida. Nascido no

Veterinário Jorge Alberto de Almeida

Alegrete, ele é casado com Wanda de Oliveira Barreto, desde 1965, união que gerou quatro filhos: Luiz Gabriel, Marco Antônio, Luciana e Fabiana. O médico veterinário atuou por muitos anos na direção da Estação Experimenta. Trabalhou como chefe do Serviço de Exposições e Feiras em Porto Alegre e no Parque de Exposições Assis Brasil de Esteio e ainda na Inspetoria Veterinária de Montenegro.

Aposentado desde 1990, participou das fundações do CTG Estância do Montenegro e do Rotary Clube Montenegro Centenário. Em fevereiro lançou seu primeiro livro de poesias, intitulado “Raízes”. A distinção foi proposta pela vereadora Rose Almeida.

Deixe seu comentário