Serão 20 boxes de isolamento disponíveis inicialmente

Pronto Atendimento para síndrome respiratória aguda irá atender 24h

Como forma de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19) foi montada uma tenda de Pronto Atendimento para síndrome respiratória aguda na rua Campos Neto nº 177, bairro Senai, junto à Secretaria Municipal de Saúde (Assistência). O local, que iniciou os atendimentos nesta terça-feira, 31, funcionará 24h e auxiliará para diferenciar o fluxo dos demais casos. A ação da Prefeitura de Montenegro visa acomodar pacientes do novo coronavírus que apresentem sintomas. A Tenda conta com barraca de triagem, sala de espera, consultório médico e 20 boxes de isolamento, além de uma equipe com dois técnicos de enfermagem, um médico e um enfermeiro em cada turno.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Cristina Reinheimer, o paciente passa primeiramente na barraca de triagem e, se for diagnosticada alguma patologia respiratória, é encaminhado para a tenda. Em caso negativo, segue para o Pronto Atendimento. “Ele vem para a espera da consulta, vai para o consultório médico e se for definido que ele tem que fazer alguma medicação, ele vem para o box de isolamento”, explica.

Nem todos pacientes serão encaminhados para o Hospital. De acordo com Cristina, tem pacientes em que é realizado o exame e enquanto aguarda o resultado pode ficar em isolamento em casa, somente os que precisam de atendimento hospitalar serão encaminhados. Uma ambulância está no pátio 24h para prontamente levar o paciente para o hospital.

Consultório médico será em sala separada

A orientação é de que a população ligue para o Tele Covid-19 nos números (51) 99780-4233 e (51) 99815-9413, peça orientação e saia de casa somente se necessário. “Na semana que vem chegam os testes rápidos para diagnóstico da Covid-19”, relata a secretária.

Os gastos com a estrutura ainda não foram avaliados pela Administração, mas muitas doações foram recebidas. “Estamos seguindo com as orientações conforme o Ministério da Saúde preconizou para unidades de Pronto Atendimento dividir em síndrome respiratórias e outros sintomas, então a gente seguiu o fluxo do Ministério da Saúde para fazer”, completa a enfermeira Camila Anversa.

Deixe seu comentário