O reajuste anual do valor das tarifas de ônibus nas viagens intermunicipais na Região Metropolitana não chegou a ocorrer em junho, como se dá tradicionalmente. Em meio a pandemia, houve postergação da alta para o início de outubro. Após, houve estudos e demanda para que o encarecimento das passagens passasse a valer em novembro; mas, em reunião nesta semana, bateu-se o martelo a favor da proposta de não ajustar os valores dentro de 2020.

A decisão foi tomada num encontro entre a Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios, a Metroplan e operadores responsáveis pelo Sistema de Transporte Metropolitano. Segundo o superintendente da Metroplan, Rodrigo Schnitzer, manter o preço atual é necessário para não reduzir ainda mais o número de passageiros do transporte público. A procura já está 56% menor do que era antes da pandemia. “O aumento tarifário pode se apresentar como um fator desestimulante ao retorno dos passageiros, e com isso agravar ainda mais a crise que vive o setor”, comentou.

As passagens intermunicipais, como entre Montenegro e São Leopoldo ou Montenegro e Porto Alegre, deveriam subir cerca de 2,67%, de acordo com o conselho superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul, a AGERGS.  A Metroplan informou que ainda não definiu quando ocorrerá esse reajuste em 2021. A expectativa, porém, é que ele ocorra já no início do ano.

Deixe seu comentário