A Volkswagen no Brasil entra definitivamente na disputa por território no setor de SUV compactos. O novo T-Cross chega com a “expertise” da marca alemã, impulsionado por um mercado nacional que consagrou o segmento que se divide entre cidade e campo, tanto que, em 2018, respondeu por 25% das vendas de veículos novos. Essa paixão superlotou o mercado com cerca de 20 modelos no catálogo, dificultando a missão da T-Cross.

Painel digital, volante funcional e multimídia com check total do T-Cross

Esse cenário preocuparia qualquer amador, mas não a marca alemã que aqui consagrou modelos como lendas. Na verdade, os engenheiros e a área de mercado da Volkswagen ficaram tranquilos desde o surgimento da primeira SUV brasileira, em 2003. Perdeu terreno sim, mas ganhou em conhecimento, observando as preferências dos clientes deste segmento e estudando o que os “donos” do terreno vinham implementando.

Highline garante potência com motor 1.4 de 150 cv

Agora, lança com muito barulho um veículo com jeito de “camionetão” e presença de carro. O Ibiá Motores testou a série T-Cross Highline, o top de linha com itens de série e opcionais de segurança, economia, conforto e tecnologia. Ao dirigir, surpreende saber que sob o capô está um motor 1.4, mas que explode assim que se pisa no acelerador. A transmissão automática de seis marchas acompanha este desempenho, subindo marchas rapidamente e sem trancos.

Harmonia de cores entre lataria e detalhes internos

Na cidade, roda macia e silenciosa, oferecendo economia no modo de direção eco e com o Star-stop. Este mecanismo desliga o motor automaticamente ao parar o veículo em sinaleiras, cruzamentos congestionados, engarrafamento ou demais situações do cotidiano urbano no qual não é necessário desligar o automóvel. Quando for hora de arrancar, um leve toque no acelerador dá partida automática. Com essa agilidade, o sistema garante também a segurança dos ocupantes ao parar em local perigoso.

Quanto se paga
– Modelo de entrada 1.0 com câmbio manual tem preço inicial de R$ 84.990,00;
– Modelo top Highline parte de R$ 109.900,00 e chega aos R$ 128.000,00 com todos os opcionais possíveis, como: teto solar panorâmico, sistema de som Beats, faróis de xenon full led com DRL, painel digital infodisplay com tela multimídia 8 polegadas e teto preto (bitom);
– Modelos intermediários 1.0 automática e 1.0 automática Conforline.

Compacto que não é pequeno
O segmento SUV na Volkswagen é representado pela Tiguan. O compacto é uma redução destes veículos, o que não concede à T-Cross o rótulo de pequena. Ao contrário, é montada

Chassi estendido proporciona bom espaço no banco traseiro

no chassi estendido do Virtus, o que confere excelente espaço interno, sem ser espaçosa demais por fora. Manobrar em estacionamento fechado ou nas ruas é tranquilo, guiado pelos sensores que criam um verdadeiro cinturão de monitoramento em 360º.

E por falar no Cockpit, ali se recebe o abraço carinhoso que a marca dá em seus fãs. O acabamento nos bancos de couro e nas peças que formam as forrações de portas, painel e console central são minuciosos. O excesso de plástico pode não agradar, mas é mais higiênico, especialmente aos alérgicos à tapeçaria. Para compensar, é oferecida possibilidade de harmonizar detalhes de painel e poltronas com a cor da lataria.

Linhas retas, freio a disco nas quatro rodas e tecnologia de dirigibilidade e segurança marcam o SUV compacto da Volkswagen

Iluminação noturna nos trincos das portas, nos pés dos ocupantes, além de um feixe de luz embutida em toda a extensão do painel, trazem um ar aconchegante, além de ser prático. Também o ar-condicionado com saídas exclusivas para os ocupantes do banco traseiro merecem referência.

Deixe seu comentário