Delegado Pepe esteve no local para iniciar trabalho de investigação

Cena macabra. Servidora da Secretaria de Educação encontrou corpo em caixa de luz no final da manhã de ontem
Uma funcionária da secretaria municipal de Educação e Cultura não deverá esquecer uma cena de terror que vivenciou no final da manhã de ontem no interior do Parque Centenário. O relógio marcava 11h30min da manhã de uma segunda-feira quente e abafada, quando ela teve a atenção despertada por conta de um cheiro forte e ruim que vinha de uma caixa de luz nas proximidades do ginásio municipal Domingão. Curiosa, chamou um guarda municipal e com o apoio de dois guris, que estavam nas proximidades, removeu as tábuas que tapavam o buraco.
Em uma profundidade de cerca de 1,5 metro o quarteto encontrou o corpo de um homem em avançado estado de decomposição. Sem documentos, o corpo foi removido pelo Departamento Médico Legal para o Posto Médico Legal de Novo Hamburgo, onde será submetido à necropsia para que seja providenciada a identificação, bem como a determinação da causa da morte.
A suspeita do delegado Marcos Pepe, titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento do Vale do Caí (DPPA), que acompanhou todo o trabalho, é que o homem tivesse entrado na cavidade para furtar fios de cobre e tenha morrido durante a prática delituosa. Ao lado do corpo, os agentes encontraram um alicate e uma mochila vazia, em que provavelmente os fios furtados seriam levados. Local de intensa movimentação, a área de lazer recebeu centenas de frequentadores no final de semana, mas usuários não relataram qualquer situação diferente.
A Brigada Militar foi chamada e isolou o local, assim como a Polícia Civil esteve presente para obter as primeiras informações e começar a investigação. O Corpo de Bombeiros prestou auxílio para a retirada do corpo e a perícia, de Porto Alegre, veio até o Vale do Caí para realizar o trabalho. A investigação ficará a cargo da 1ª DP para onde a ocorrência será encaminhada.

Operário limpou local e não notou nada de diferente

França não notou nenhuma alteração na sexta, quando limpou o local

Funcionário da secretaria de Meio Ambiente, o operário Moisés Antônio, o França, conta que na sexta-feira limpou o local e não notou nenhuma movimentação diferente. Acostumado a limpar a área diariamente e passar pelo espaço diversas vezes ao dia, França admitiu que foi um grande susto começar a semana tendo encontrado um corpo dentro do parque. “A caixa estava fechada com pedaços de madeira em cima, antes do fato”, acrescentou o funcionário.
Felipe Haynech, servidor da área da elétrica da Prefeitura, reconheceu que a fiação estava energizada e que uma pessoa realmente poderia morrer em caso de um choque, por conta de se tratar de eletricidade. Entretanto, ele destacou que o local estava bem protegido e para a remoção das tábuas de madeira seriam necessárias pelo menos duas pessoas.

Poste de luz com caixa próxima não tem proteção

Ele lembrou que a área de lazer tem parte interditada para eventos justamente por conta de problemas estruturais, inclusive elétricos, com risco de curto-circuito, o que obrigou, no começo de novembro passado, três secretarias municipais a deixarem o parque.

Compartilhar

Deixe seu comentário