“Incentivamos ele a acreditar que é possível sonhar e realizar”, diz mãe do garoto

Nesta quarta-feira, 28, o menino Wesley Krug da Rosa, morador do bairro São Paulo em Montenegro, completou 11 anos. Celebrar mais um ano de vida é algo especial para ele e sua família, mas, uma surpresa realizada no 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM) fez a ocasião se tornar ainda mais marcante.

Deise Machado Krug conta que desde os primeiros anos de vida, Wesley passou a admirar os policias militares. “Quando pequeno, orientamos ele a, caso se perdesse, pedir ajuda para a Brigada Militar, e dizer o nome da mãe e do pai. Desde então a paixão veio crescendo. Ele aborda os brigadianos na rua para conversar e fazer foto”, acrescenta Deise.

Na hora da escolha dos presentes, Wesley não tem dúvidas sobre o que pedir: algemas, arminhas… “A única coisa que gostaria de ganhar e ainda não tenho é uma farda”, completa o aniversariante. Em relação à profissão que quer seguir quando adulto também não há hesitação. “Vou ser policial”, afirma o estudante do 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Pedro Steigleder.

Toda a admiração pela Polícia Militar fez com que a mãe, em parceria com os servidores do 5º BPM, preparasse um momento especial para Wesley. No começo da tarde desta quarta-feira, o menino, a mãe, o pai, Éder José da Rosa, e o irmão Wilian Krug da Rosa, de 12 anos, saíram para um passeio “diferente”.  “Paramos aqui na frente e ele perguntou se era a delegacia. Ele queria saber o que estávamos fazendo aqui. Ficamos no carro enquanto minha esposa veio ver se estava tudo pronto”, conta Éder.

Deise chamou os filhos e o marido para conhecer o batalhão. A grande surpresa ocorreu quando entraram em uma sala, onde policiais, cantando Parabéns, receberam a família. Wesley recebeu os cumprimentos do comandante, tenente-coronel Oberdan do Amaral, presentes de seus anfitriões e ainda deu uma volta de viatura.

A emoção foi tanta que o garoto economizou nas palavras de agradecimento, mas garantiu que irá recompensar o gesto tornando-se um dedicado membro da corporação – isso daqui a alguns anos.

“É um prazer participar do sonho dele. Com estudo e esforço ele vai realizar o sonho de se tornar policial. Não se trata do tamanho da homenagem, mas a lembrança que vai ficar para sempre na cabecinha dele, que passou um tempo do seu aniversário de 11 anos aqui no batalhão. Pelo brilho nos olhos, podemos ver o quanto ficou feliz”, relata a soldado Daiana Brandt.

 

Deixe seu comentário