O evento contou com representantes de conselhos do município

Pinturas, tecidos africanos, comida gostosa e música marcaram as atividades na Sociedade Floresta Montenegrina neste sábado, dia 9. Na data, iniciaram as atividades de comemoração do Mês da Consciência Negra, comemorado em novembro. Durante o mês, estão previstas diversas ações de comemoração, e foi a Sociedade Floresta que abriu as portas para as celebrações.

A presidente comentou sobre a felicidade de sediar a abertura das atividades

Para a presidente da Sociedade Floresta, Leticia Silva dos Santos, 42, é de suma importância sediar um evento representativo. “A Sociedade Floresta tem uma tradição à 103 anos que desenvolve junto à comunidade a questão do empoderamento e do espaço da cultura negra”, comenta.

A Exposição de Arte da artista plástica, Regina Helena, 68, pode ser conferida de perto pela população. O inicio da artista foi já com a idade mais avançada, através de uma professora da Fundarte. Na ocasião, Regina fala sobre a importância de expor em um evento. “É bem emocionante. A gente poder desenhar ou pintar nos mulheres negras e a vida da gente dentro da sociedade”, comenta. A artista ainda demonstra a felicidade de participar dos eventos. “A gente vai envelhecendo e se sente renovada”, explica.

O desfile contou com montenegrinas

No evento, teve exposição da grife “Desvendando Estilos”, de Lisiane Niedsberg, que utiliza de tecidos africanos nas confecções das peças estampadas e coloridas. No desfile, montenegrinas mostraram as roupas versáteis para a população que foi prestigiar o momento.

O Conselho dos Povos de Terreiro, a Central Única das Favelas, Coletivo Kubalumuka, o Grupo de Dança Afro da Sociedade e Jhozy Azeredo foram alguns dos participantes das atividades. Jhozy trouxe um desfile de cabelos afros e a celebração pela cultura indígena ficou por conta do Bloco Ibiraiaras.

Confira a programação completa do mês:

17/11 Coletivo Kubalumuka, na Sociedade Floresta, das 15h30 às 19h
Mesa de Discussões – Componentes
-Alexandre Ferraz – Biólogo – Educação das Relações Étnico Raciais;
-Murilo Vargas – Atuante na área do Direito – Heróis Negros desconhecidos e debates públicos perante as questões raciais;
-Sueli Angelita Silva – Assistente Social NEABI/Unisino – Acessibilidades do povo Negro e Políticas Publicas.
Venda de artesanato afro
– Afroempreendedores: Aruanda Artes – Vanessa lima produtos fitoenergéticos – Jurema Teresinha Artesanato Negro.
Apresentação do grupo de dança da floresta, Nadir e banda, Kelli da Silva

19/11 – No Espaço Braskem da Estação da Cultura
8h30min – Solenidade de abertura oficial
9h15min – Exibição do documentário “O negro no Vale do Caí” do professor Roberto dos Santos
10h – Coffee Break
10h15min – Painel Negro no RS com Reginete Bispo (Antropóloga e Coordenadora Geral do Instituto Akanni), Carla Beatriz Meinerz (Professora Doutora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Mimmo Ferreira (Professor, percussionista, baterista, compositor e integrante do grupo Alabê Ôni) e Rosângela Lopes (Ativista negra e Bacharel em Direito)

20/11 – Na Câmara de Vereadores de Montenegro
19h30min – Projeto Negro no Vale do Caí – Onde estamos! Para onde vamos! Encaminhamentos das pesquisas bibliográficas: como serão utilizadas e como pesquisar

23/11 Coletivo Kubalumuka, na Sociedade Floresta, das 15h30 às 19h
Abertura – SLAM – Henry Adriel membro do Coletivo Kubalumuka
Mesa de Discussões – Componentes
-Fahby Ferraz – Cantora e compositora Montenegrina – A musica para as mulheres Negras;
– Dwed – Mc do Guerreiros da Perifa( Grupo de RAP Montenegrino) – O Rap para o Negro;
-Adriano Karan – Artista da Montenegrino – Descrição e discussão sobre sua nova coleção de obras.
-Atividade recreativa junto com a plateia – Adriano Karan.

Deixe seu comentário