Organizado através de fórum sindical, manifesto contra reformas atraiu grande público à Praça Rui Barbosa na manhã do último sábado

Entidades denunciaram os cortes de direitos e prejuízos aos trabalhadores

Dezenas de sindicalistas realizaram, na manhã do último sábado, uma mobilização conjunta na Praça Rui Barbosa. O manifesto foi motivado, principalmente, pelas propostas de reforma da Previdência e pela Lei das Terceirizações, essa última aprovada no dia 22 de março pela Câmara dos Deputados.

Estiveram presentes, além das lideranças sindicais, bancários, funcionários dos correios, da área de saneamento e água, além de comerciários, professores, químicos, metalúrgicos, trabalhadores do setor de alimentação e pessoas da comunidade montenegrina e da região.

De acordo com o presidente do Sindicomerciários de Montenegro, Joemir Oliveira, a ação foi decidida através do fórum sindical, para denunciar publicamente as reformas que trarão prejuízos a todos os trabalhadores de todos os setores. “O Congresso Nacional eleito não é sensível a essas reformas. E, se a população não for para a rua, as medidas passarão. Com elas aprovadas, voltaremos a uma época que pode ser comparada com a da escravidão”, denuncia.

Além dos prejuízos ao trabalhador, Joemir destaca o risco de liquidação de empresas estatais, com a reestruturação da dívida do Estado com a União, como a CEEE, Sulgás, Corsan e o Banrisul. “Se não houver recuo por parte do governo Temer, haverá uma paralisação nacional no dia 28 de abril e certamente faremos alguma ação em Montenegro”, explica.

Mara Moraes e Ellen Bueno foram lutar por seus direitos em ato na Praça

Ellen Bueno, 23 anos, funcionária pública, e Mara Moraes, 56 anos, aposentada, compareceram para reforçar o grupo de pessoas que protestou contra os projetos federais. De acordo com elas, as conquistas da classe trabalhadora estão ameaçadas, “diante de um governo que se diz legítimo”.

“Todos os direitos que temos hoje demoraram muito para serem adquiridos, a partir da classe trabalhista, movimentos feministas e tantos outros. É um grito de socorro contra uma presidência que não nos ouve”, enfatiza Ellen.

Organizado através de fórum sindical, manifesto contra reformas atraiu grande público à Praça Rui Barbosa na manhã do último sábado

Deixe seu comentário