Os pardais das rodovias estaduais estão desligados desde agosto do ano passado. Foto: Arquivo

Conforme o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) a previsão de retomada dos pardais não ocorrerá em fevereiro, como era previsto. Isso porque a licitação para locação dos equipamentos foi parar na Justiça. A notificação ocorreu em dois de dezembro.

A empresa Iessa questionou o resultado que anunciou a Perkons como vencedora. A empresa que vencer a disputa irá instalar pardais para monitorar 68 faixas de tráfego em sete rodovias do Estado, incluindo a BR-386, em Montenegro.

Outra licitação também já havia parado na Justiça. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) determinou a suspensão da concorrência até o julgamento do mérito do recurso. Na ação, a empresa Iessa questiona o resultado que eliminou ela e o consórcio que participava, formado também por KOPP e Esteio.

O consórcio não apresentou a certidão negativa de falência e recuperação judicial referente à empresa Iessa. Com isso, as segundas colocadas nas licitações foram chamadas. O vencedor desta licitação poderá monitorar 25 faixas, entre elas a RSC-287 em Montenegro.
Os pardais das rodovias estaduais estão desligados há cinco meses. Os contratos assinados em 2014 chegaram ao fim em julho. Estes controladores monitoravam 93 faixas de tráfego em 13 rodovias. Os pardais instalados RSC-287, em Montenegro, e RSC-122, em São Sebastião do Caí, apareceram entre os cinco que mais multaram em 2018. Foram, respectivamente, 20.591 e 18.448 multas.

Deixe seu comentário