No pilar da casa, Maria Elaine colocou os ramos, simbolizando a fé e a união à Cristo

Este domingo, 5 de abril, é uma data importante para os católicos. Primeiro domingo antes da Páscoa, o “Domingo de Ramos” marca o início da Semana Santa. Na Bíblia, faz alusão a entrada de Jesus em Jerusalém no domingo antes de sua morte e ressurreição.

Em tempos sem restrições à aglomerações, esta data seria marcada, em Montenegro, por uma tradicional procissão, seguida de missa na Catedral São João Batista com a benção dos ramos. Estes, que, pela tradição, remetem à vitória de Jesus, lembrando o fiel do batismo e de sua união à Cristo na luta pela salvação do mundo.

Mas mesmo sem poder ir a igreja hoje participar da celebração, os católicos montenegrinos não deixaram de lembrar a data, ainda que de forma limitada.

“É uma tradição que simboliza o renascimento”, explica o advogado Gilberto Bohrz, do portão de sua casa, no bairro Industrial. Assim como faziam seus bizavós, depois seus avós e pais, ele teve os ramos benzidos e os dispôs nas grades do pátio para mostrar que a família está iniciando a celebração da Semana Santa.

Foi um pouco diferente. Sem poder ir à missa, como fez tantos anos antes, o católico reuniu a família (e os ramos) em volta do computador para assistir a transmissão da missa da Diocese de Montenegro pelo Facebook, onde recebeu a benção. Nessas horas, a tecnologia tem se mostrado uma importante aliada.

As grades da casa do advogado Gilberto Bohrz estão adornadas com os ramos

“No que mais a gente precisa se apegar é a fé de que um futuro melhor vai vir”, avalia Bohrz. E assim como em sua casa, muitas outras da cidade e do interior estão adornadas neste domingo com os ramos. Sejam em portas, paredes ou grades, lá estão eles, simbolizando que a fé continua viva em Montenegro, mesmo com a pandemia.

“Eu acho que a gente tem rezado mais; e tem rezado juntos”, avalia a professora aposentada Maria Elaine Figueiró. Natural de Porto Alegre, mas morando em Montenegro há mais de três décadas, ela conta que, “desde de que se conhece por gente”, celebrava, na igreja, o Domingo de Ramos. E neste primeiro ano em que não pode ir na missa, assistiu a transmissão de uma pela televisão.

Também colocou seus raminhos, bem a vista, em um dos pilares do seu lar, acatando a sugestão da igreja. Passada a Semana Santa, ela adianta, eles serão guardados dentro de casa, onde ficarão o ano inteiro.

A transmissão ao vivo da tradicional missa na Catedral São João Batista foi transmitida no Facebook nesta manhã. Ela pode ser conferida, na íntegra, a seguir.

 

Deixe seu comentário