Ermo e distante do Centro, Zona Rural deixou de ser lugar tranquilo

Violência. Outra família foi rendida e espancada em assalto à residência

A quadrilha que ataca na Zona Rural de Montenegro está a um passo de provocar uma tragédia. Na noite da última segunda-feira, 18, eles invadiram uma propriedade rural na localidade de Passo da Serra, onde renderam e agrediram violentamente três das quatro vítimas. As agressões são a forma de obrigar as pessoas a entregarem os bens mais valiosos e armas.

Em comum com os demais crimes, a utilização de uma automóvel GM Monza hatch, modelo mais antigo. Segundo relato de um dos atacados, um homem de 33 anos, ele mora neste sítio próximo a usina de Biocitrus com a esposa, de 27 anos. Na mesma propriedade está a casa do sogro e da sogra, ambos de 54 anos. Era cedo ainda, cerca de 21 horas, quando todos estavam reunidos na casa do declarante.

Então perceberam quando esse Monza entrou na propriedade e parou perto da casa do sogro. Pensaram se tratar de um familiar, pois o carona desceu e entrou direto na residência. O idoso foi atrás para ver quem era, então foi surpreendido por um indivíduo armado, que lhe empurrou para um quarto. O sujeito queria saber onde estava o dinheiro e as armas. Mas o morador nada tinha em seu poder no momento.

Um valor significativo havia sido gasto recentemente com o sepultamento de uma tia da família; e das armas o cidadão havia se livrado há mais tempo. Mas isso não foi explicação para a dupla, que espancou violentamente o homem de 54 anos. O genro também tomou dois socos, assim como a filha do casal que foi agredida após reagir e atacar um dos criminosos. O cidadão de 33 anos lembra que o motorista estava armado.

Também relatou que antes de entrar, o condutor manobrou o Monza voltado para a saída, sendo que neste momento colidiu a traseira em uma árvore. Ninguém descreveu a dupla com exatidão, apenas lembraram-se, de forma indefinida, que um deles tem tatuagem. Os ladrões saíram levando apenas uma televisão Philips de 42 polegadas. O Setor de Investigações (SI) da 1ª DP investiga os casos, todavia não fala a respeito deste trabalho.

O capitão Oscar Bessi Filho, que responde interinamente pelo comando do 5º BPM, analisa que não há um padrão entre as ações verificadas no interior nos últimos dois meses. O oficial garante ainda que a corporação tem focado nas rotas de atuação desses assaltantes. “Lidamos com o problema com o efetivo que temos, que é reduzido mas abnegado. Contamos com informações da comunidade para ações mais específicas”, finalizou.

Um mês de ocorrências seguidas em diferentes comunidades

EM SANTOS Reis, vítima levou coronhada sem ter esboçado reação

Na última sexta-feira, três homens armados assaltaram uma borracharia em Santos Reis, também no interior. Segundo o proprietário, por volta das 8h30min, dois indivíduos chegaram de motocicleta e pediram para calibrar o pneu traseiro. O borracheiro foi para os fundos ligar o compressor; e ao retornar foi atacado e recebeu uma coronhada na cabeça. Um terceiro elemento, possivelmente de carro, se juntou depois. A quadrilha levou o Palio da vítima, que foi abandonado na Estrada Selma Wallauer, onde moradores disseram ter visto indivíduos passando itens para um Monza.

Já no início da tarde do dia 22 de agosto, três indivíduos invadiram uma casa na localidade de Passo da Pimenta. Eles amordaçaram o morador e foram para a residência vizinha, de onde levaram 20kg de carne, eletrodomésticos e uma moto Honda CG. Um dia antes, crime semelhante aconteceu na comunidade Sanga Funda, por volta das 19h. Quatro pessoas de uma mesma casa foram amordaçados e torturados psicologicamente, inclusive uma com deficiência.

Similaridade ainda com o caso que ocorreu por volta das 19h30min do dia 18 de agosto; quando três indivíduos surpreenderam uma família no Porto dos Pereiras. Armados e com o rosto coberto, eles chegaram por um matagal e invadiram a casa. As vítimas foram amarradas com lençóis, enquanto o trio fugia utilizando o veículo da família, uma caminhonete Renault Duster.

Deixe seu comentário