De domingo até terça, os bombeiros agiram quatro vezes para conter mesmo incêndio

RECORRENTES, incêndios em áreas verdes e de mata exigem esforço redobrado para combate

Desde domingo, dia 29, até a tarde dessa terça-feira, 31, o Corpo de Bombeiros de Montenegro se deslocou quarto vezes para atender a casos de fogo em vegetação em um único endereço, na rua Celso Emílio Müller, bairro Bela Vista. Na tarde da segunda-feira, 30, os profissionais também foram deslocado para combater chamas na rua Osvaldo Aranha, na antiga fábrica da Ambev, onde galhos e grama pegaram fogo. A falta de chuva e o calor têm contribuído para a incidência de situações como essas. Em contrapartida, os bombeiros têm de se desdobrar para controlar o problema.

Só no mês de março foram registrados 41 casos de fogo em mato em Montenegro

Na volta do Morro São João, a queima em uma área particular começou no domingo, 29. Naquele dia, os bombeiros tiveram de ir ao local duas vezes. No final da tarde, as chamas atingiram árvores e puderam ser vistas de longe. A ação rápida impediu que o fogo se alastrasse. Contudo, a vegetação seca favoreceu o reaparecimento do fogo.

Nessa terça-feira, 31, novamente os servidores tiveram de comparecer, duas vezes, no endereço. Durante a tarde, a elevada temperatura foi enfrentada em novo rescaldo na área. O que provocou o fogo não se sabe. O que é de conhecimento de todos na corporação é que, com tamanha seca, as consequências poderiam ser graves.

Queima em vegetação também chamou a atenção de quem passou perto da antiga fábrica, no começo da rua Osvaldo Aranha, na segunda-feira. Lá, mais uma vez, os bombeiros agiram antes que as coisas fugissem ao controle. E não é de hoje que esse tipo de situação vem sendo registrada, em diversas partes da cidade.

Segundo o comandante da corporação – que também responde pelos bombeiros do município de Taquari – tenente Glaiton Silva Contreira, em janeiro foram atendidas 20 ocorrências de queima de lixo ou de vegetação. Em fevereiro, o número subiu para 29. E em março deu um salto para 41 casos. Grande parte dos registros, cerca de 85%, ocorreram na área urbana de Montenegro, junto às rodovias. “Temos um período de menor incidência de chuvas o que deixa a vegetação mais ressecada e mais propensa a espalhar o fogo”, explica o comandante. Por isso, é preciso se ter cuidados como evitar colocar fogo em lixo, não descartar bitucas de cigarros nas vias, manter a vegetação ao redor das casas bem aparada, não acumular restos de móveis próximo as rodovias, ou em terrenos baldios.

Deixe seu comentário