Primeira edição do evento promovido pelo Ament aconteceu na Estação da Cultura na manhã desta quinta-feira, 21. FOTO: ACOM

A saúde mental é um assunto que vem ganhando destaque nos últimos anos pela sua importância e pela alta demanda de atendimentos dentro da cidade. O Janeiro Branco é justamente para chamar a atenção sobre o assunto. Na manhã desta quinta-feira, 21, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Ambulatório Interdisciplinar de Saúde Mental (Ament), promoveu a primeira edição de 2021 do projeto Educação Permanente Saúde Mental (EPS), um evento para abordar o tema com os médicos da Atenção Básica de Montenegro.

O palestrante Henrique Ludwig falou sobre diversos assuntos. Um deles foi sobre a Depressão. O profissional destacou os sintomas, os tratamentos e dados estatísticos sobre a doença. Ludwig expõe que 15% da população mundial tem o diagnóstico de Depressão, sendo que a maior incidência é em pessoas de 24 a 35 anos. “Mesmo assim, a doença pode começar na infância ou na adolescência”, explica. O psiquiatra também destacou que a Depressão é duas vezes mais frequente em mulheres, sendo que 70% dos casos são pacientes do sexo feminino.

Outro dado destacado por Ludwig diz respeito ao suicídio. Cerca de 15% dos pacientes com quadros graves correm risco de atentar contra a própria vida. “Além disso, 70% dos que tentaram ou se suicidaram consultaram um médico nos seis meses anteriores”, afirmou o palestrante, enfatizando a importância da atuação profissional nestes casos.

O encontro aconteceu na “casa amarela”, da Estação da Cultura, e contou com a presença de profissionais que trabalham nas unidades de saúde da cidade. Durante a programação, houve uma palestra do psiquiatra Henrique Ludwig e, logo após, discussão de caso entre os participantes. De acordo com a enfermeira coordenadora de Saúde Mental, Camila Anversa, é um momento para tirar dúvidas sobre o tema e, consequentemente, melhorar o atendimento à comunidade. A profissional salienta que Saúde Mental é um assunto que está sendo muito debatido e que necessita de uma atenção especial neste momento. “Entendemos que as pessoas têm de ter acesso a esse atendimento mais perto de si”, afirma Camila, ao destacar a atuação nas unidades básicas.

A psicóloga do Ament, Daiana dos Santos Gallas, também participou da organização do evento e enfatiza a importância dele devido à alta demanda de atendimento no município. Ela ressalta que a prevenção é fundamental e diz que, na maioria das vezes, os casos chegam ao setor quando já estão agravados.

 

Deixe seu comentário