Um dos temas abordados foi a reforma da previdência, que atingirá a trabalhadora rural. Foto: Divulgação Emater

O salão da comunidade de Campestre Baixo, em Salvador do Sul, recebeu na sexta-feira, 8, um público de mais de 300 pessoas de diversas localidades do município, para o 4º Encontro Municipal de Mulheres. Organizado pela Emater/RS-Ascar, Prefeitura, Centro de Referência da Assistência Social (Cras) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), o evento celebrou o Dia Internacional da Mulher com a peça de teatro Simplesmente Herta, além de brincadeiras, sorteio de brindes, benção dos alimentos e café colonial com receitas típicas da região.

Além dos momentos de descontração, o encontro também serviu para reflexão a respeito da importância da mobilização das mulheres para a garantia da manutenção de direitos. Em dado momento do evento, a presidente do STR Joseane Deuner leu uma carta da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) sobre a importância de uma Previdência Social justa, sem que haja perda de direitos. “Não somos contrários à Reforma, mas se ela acontecer assim como está prevista, certamente haverá aumento da pobreza no campo, intensificação do êxodo rural e risco de insegurança alimentar para a sociedade brasileira”, avalia.

O documento também dedicava espaço para a luta contra a violência motivada por questões de gênero – caso do feminicídio – e para a importância de boas políticas públicas para o campo. “Este é um momento de união em que não devemos admitir a perda de direitos já conquistados”, lembrou Joseane, que convidou as participantes para assinarem um abaixo-assinado para a revisão de alguns pontos de Reforma da Previdência. Em agosto, a Marcha das Margaridas chamará a atenção para o tema, com o lema “Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência”.

Deixe seu comentário