Montenegrino Argeu da Silva viaja na manhã desta terça para a Grécia, onde disputará a maratona

Corredor de Montenegro disputa Maratona de Atenas no próximo domingo

Cerca de 35 mil atletas participarão da tradicionalíssima Maratona de Atenas, na Grécia, no próximo domingo. Entre eles, estará o montenegrino Argeu da Silva, 43 anos. Um dos expoentes da modalidade na cidade, o corredor embarca na manhã de hoje para o berço do atletismo, onde realizará um sonho. Após competir no Ushuaia, no Deserto do Atacama e em Cape Town (África do Sul), Argeu agora parte para o maior desafio da sua vida.

A primeira parte da maratona será dentro do avião. O voo do atleta de Montenegro sai de Porto Alegre às 11h de hoje. A chegada em Atenas está prevista para esta quarta-feira, às 15h. Antes disso, Argeu fará escalas em São Paulo e em Frankfurt, na Alemanha. Preparado, o corredor vai recuperar o desgaste da viagem nos três dias que antecedem a prova, mas não deixará de treinar.

Movido a desafios, o atleta já competiu no Ushuaia (foto), no Deserto do Atacama e em Cape Town . Foto: arquivo pessoal

“Chegando lá, vou fazer ‘rodagem’ de 5 km diariamente para soltar a musculatura, descansar, me hidratar e me alimentar bem”, salienta Argeu, que bebe aproximadamente três litros de água por dia, evita refrigerante e se abastece com frutas e carboidratos.

O atleta iniciou a preparação para a Maratona de Atenas no mês de agosto, quando disputou a Maratona de Florianópolis. Na ocasião, Argeu completou o percurso de 42 quilômetros em 3 horas e 16 minutos. Após quase três meses de treinamentos intensos e 70 quilômetros percorridos semanalmente, o corredor estabeleceu uma meta para o desafio na Grécia. “Quero fazer o trajeto em menos de três horas. É um sonho que será realizado, competir onde tudo começou”, declara o atleta.

Movido a grandes desafios, o montenegrino de 43 anos garante que o foco é baixar o tempo. Prevê dificuldades a partir do 15° quilômetro e conta quais serão os principais adversários em Atenas. “Os primeiros 15 quilômetros são tranquilos. Depois, até os 30 km, há muitas subidas e descidas no trajeto. Conquistar um lugar no pódio é muito difícil, mas vou tentar. Serão em torno de 35 mil participantes e oito pelotões. Os quenianos serão os principais oponentes. Eles têm um metabolismo mais rápido”, frisa.

Em abril deste ano, Argeu esteve em Cape Town, na África do Sul, disputando a Meia Maratona da cidade. Sua experiência, no entanto, não foi das melhores. “Saí num pelotão muito atrás, aí não consegui ter um bom rendimento. Não tive uma boa experiência”, admite o atleta, que corre há mais de 15 anos.

Apesar disso, ele acredita que vive atualmente seu melhor momento para disputar uma maratona. “Poderia estar melhor, mas como trabalho em dois lugares diferentes, preciso conciliar os horários. Para os dias que antecedem a maratona, é fundamental descansar, não comer algo diferente do que está acostumado e não usar tênis novo. O ideal é usar o calçado que está acostumado a treinar. Além disso, é indispensável muito carboidrato e hidratação”, complementa.

Depois da maratona, Argeu ainda ficará alguns dias em solo grego. De férias, o montenegrino vai aproveitar para fazer um tour por Atenas e um passeio nas Ilhas Gregas.

Deixe seu comentário