Atleta de 11 anos quer mostrar seu talento em Santa Catarina para chamar atenção dos clubes grandes

Oportunidade. Promessa da cidade busca visibilidade com o Noia em SC

Em um município pequeno, pouco conhecido, com pouco mais de 10 mil habitantes, centenas de atletas querem dar mais um passo na busca pelos seus sonhos. Entre eles, está o montenegrino Reinaldo Duarte, de apenas 11 anos. Atleta do Novo Hamburgo, a jovem promessa da cidade almeja se destacar na 3ª Copa Cidade São Ludgero – Taça Copobras, que ocorre entre os dias 22 e 28 de julho, em Santa Catarina, para chamar a atenção dos grandes clubes que participarão do torneio.

Reinaldo Duarte, futebol, Novo Hamburgo, torneio, clube
Reinaldo já está sendo monitorado por uma agência de empresários

O Noia é um dos times considerados coadjuvantes na disputa, mas quer surpreender os gigantes. Os principais concorrentes da equipe do Vale do Sinos na briga pelo título serão Cruzeiro, Corinthians, São Paulo e Grêmio. É justamente contra essas equipes que Reinaldo quer brilhar em São Ludgero. “Quero jogar diante dos times mais tradicionais, principalmente o Corinthians. Não esperava enfrentar esses clubes logo de cara em uma competição. No profissional, eles são da Série A e o Novo Hamburgo da Série D. Vai dar um frio na barriga, mas é normal”, ressalta o garoto.

A delegação do Noia viaja sábado à tarde para o estado vizinho. A competição inicia no domingo,e a categoria Sub-11 do anilado já sabe quem enfrentará na fase de grupos: Chapecoense-SC, Sport Juiz de Fora-MG e BF Soccer-SC. “Queremos surpreender e chegar, pelo menos, nas quartas ou semifinais. Na teoria, nosso grupo não é tão difícil”, analisa Reinaldo.

Atuando como volante, o jovem montenegrino não impõe meta de gols na competição, mas tem seus objetivos bem definidos para esta semana em São Ludgero. “Será uma experiência boa, vou me esforçar bastante para observarem meu futebol. Ganhar dos grandes chamaria atenção de todas as equipes”, frisa o atleta, que já vem sendo monitorado por uma agência de empresários de Santa Catarina.

No início do ano, Reinaldo jogava como articulador na equipe do Vale do Sinos. Porém, sua visão de jogo e a qualidade do passe fizeram com que o treinador recuasse o garoto para a segunda função do meio-campo. “Treinei uma vez como segundo volante e o treinador gostou”, acrescenta.

“Não vou medir esforços para ver ele bem”, garante o pai
Um dos maiores incentivadores de Reinaldo no futebol é seu pai, Rafael Duarte. Em praticamente todos os seus jogos pelo Novo Hamburgo, Rei olhou para as arquibancadas e viu seu pai torcendo e passando conselhos. No entanto, Rafael não poderá acompanhar o filho em Santa Catarina, devido ao trabalho. “Vou estranhar ao olhar para a arquibancada e não ver o pai, mas acostuma”, minimiza o menino.

No início do ano, Reinaldo participou da Copa Teutônia e ficou alguns dias longe de casa. Naquela ocasião, porém, o pai do garoto acompanhou de perto os passos do filho nos campos de Teutônia. “Para ele, é uma novidade jogar contra os grandes clubes, ficar fora do Estado por uma semana. Não vou conseguir viajar para Santa Catarina. Então, com 11 anos recém-completos, ele vai ter que se virar. O Rei está tendo uma chance que muitos meninos querem ter”, enaltece o pai.

“Ele (Reinaldo) já teve a experiência em Teutônia, sozinho. Agora deve ser mais tranquilo. Não vou medir esforços para ver ele bem. Estamos lutando juntos por um futuro melhor”, completa Rafael.

Deixe seu comentário