Foto: CBVC

Um jovem de 19 anos, identificado como Leonardo da Silva Trindade,  morador da cidade de Antônio Prado, morreu vítima de afogamento nas águas do Rio Cai, em Vale Real. O afogamento ocorreu no final da manhã deste dia 31.

A vítima foi localizada após cerca de 30 minutos de trabalho dos mergulhadores, da corporação de Bombeiros Voluntário de São Sebastião do Caí. O corpo estava em um “poço” de cerca de 05 metros de profundidade.O Corpo de Bombeiros Militares de Caxias do Sul esteve no local, mas não houve a necessidade de trabalho, devido a rápida localização da vítima, pelos Bombeiros Voluntários do Caí e de Bom Princípio.

Este é o quarto caso de afogamento registrado nas águas do Rio Caí, na região, desde o dia 15 de dezembro.O caso mais recente ocorreu no dia 25, quando Jandir Rodrigues da Silva, de 38 anos foi vítima de afogamento, em Bom Princípio.

O primeiro óbito por afogamento nas águas do Caí foi no dia 15, em um balneário na cidade de Harmonia. Fernando José Lenhardt, de 56 anos, foi a primeira vítima. No dia 20, Douglas Pires, de 25 anos, perdeu a vida na localidade de Picada Cará, na Feliz.

 

Prevenção a afogamentos em rios, lagos, cachoeiras e açudes

O presidente da Voluntersul Anderson Jociel da Rosa destaca que apesar de não ter ondas, rios, lagos, cachoeiras e açudes possuem inúmeros riscos, afinal até um copo de água pode provocar um afogamento. “Sempre existe risco. Ao entrar na água a referência que deve-se ter é: ‘água no umbigo é sinal de perigo’, pois esse é o ponto de referência do equilíbrio”, afirma o bombeiro.

Dicas simples como ter um celular carregado e verificar se a área possui sinal, para utilização em casos de emergência, podem fazer a diferença em um momento de apuros. Além disso, sempre avise parentes e amigos sobre o local em que você está indo e a hora programada para retorno.

Por mais que se conheça o local, os rios, lagos e cachoeiras estão em constante mudança, por isso, sempre comporte-se como se não os conhecesse. Se o rio tiver correnteza nunca entre com água acima do joelho. O consumo de bebidas alcoólicas e refeições antes de entrar na água também deve ser evitado, orienta o comandante Anderson.

 

Cuidados fundamentais

– Nunca mergulhe de cabeça, pois pode causar morte ou paralisia;
– Cuidado com o limo nas pedras, ele pode fazer você escorregar e cair na água;
– Se possível procure locais com a prevenção de guarda-vidas;
– Etilize colete salva-vidas. As boias causam uma falsa sensação de segurança, podendo estourar ou virar;
– Se você for entrar na água sempre que possível tenha alguém te observando, por mais que saiba nadar você pode ser acometido de um mal-estar ou mal-súbito, podendo tornar-se uma vítima;
– Tenha cuidado com a “cabeça d’água”, este fenômeno pode acontecer mesmo sem que esteja chovendo no local, aumentando significativamente a quantidade de água que desce nos rios, cachoeiras, não dando tempo para sair em segurança da água;
– Cuidado com buracos e fundos de lodo, você pode afundar rapidamente;
– Se mesmo com todas as dicas de prevenção você tiver uma ocorrência em rio, tente manter a calma, não lute contra a correnteza, guarde suas forças para flutuar e acene por socorro imediatamente;
– Boias e materiais flutuantes devem ficar sempre à mão, para o caso de alguém estiver se afogando.

 

Deixe seu comentário