Foto: Divulgação Internet

A indústria gaúcha teve uma queda de 6,1% nas exportações em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2017, ao alcançar US$ 1,2 bilhão como valor de suas vendas externas, o equivalente a 74,6% do total de US$ 1,6 bilhão embarcado pelo Estado. A retração se explica, em parte, pelo fato de os dois segmentos com maior contribuição na pauta, Alimentos e Tabaco, terem fechado com forte recuo, de 20,4% e 24%, respectivamente.

“O resultado ainda sofre parte da influência da forte crise na Argentina, um dos nossos principais compradores, que reduziu em mais de 51% os pedidos”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry. As categorias Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis (675%) e Químicos (34,8%) foram destaques positivos em outubro, insuficientes, porém, para evitar a contração nas exportações.

As vendas externas totais do RS em outubro registraram perdas de 1,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar disso, o grupo de produtos básicos assinalou um crescimento de 16,6%, especialmente pelo embarque de US$ 47 milhões em arroz, já que não houve registro de exportação para este produto em outubro de 2017.

Já as importações do Rio Grande do Sul apresentaram uma expansão de 26,4% nas mercadorias compradas, ante o mesmo período de 2017, maior resultado da série histórica para o mês de outubro desde 2010, atingindo a marca de US$ 1,1 bilhão. Boa parte da variação positiva pode ser atribuída à expansão das categorias de uso de Bens de Capital (3,8%) e Intermediários (38,3%), com destaque para Combustíveis e Lubrificantes (142%).

Compartilhar

Deixe seu comentário