Maior investimento por voto recebido na região foi de R$ 52,99 e o menor, R$ 2,39. FOTO: Antonio Augusto/TSE

Ibiá fez o cálculo de quantos reais foram investidos para cada voto recebido na campanha

Mais do que promessas e projetos, campanhas eleitorais são feitas de dinheiro. Os recursos para buscar o voto da população podem vir de doações de pessoas físicas ou dos próprios partidos e são importantes para impulsionar as campanhas. A título de curiosidade, o Jornal Ibiá levantou dados para saber quanto cada prefeito eleito do Vale do Caí gastou em sua campanha e qual foi a média gasta por cada voto recebido.

Para realizar o cálculo do valor do voto recebido, a reportagem buscou no site DivulgaCand, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informações sobre o gasto de campanha de cada prefeito eleito da região, somou as despesas (gastos financeiros + gastos estimáveis – que é uma doação de bem ou serviço) e dividiu pelo número de votos recebidos.

Em Montenegro, maior cidade do Vale do Caí, o prefeito Gustavo Zanatta (PTB) investiu R$ 114.676,84 na campanha que lhe rendeu 12.376 votos, elegendo-o com 39,46% dos votos válidos. Assim, cada voto recebido representou um investimento de R$ 9,27. Para se ter ideia, o segundo colocado, Carlos Eduardo Müller (Progressistas), o Kadu, gastou R$ 137.450,29 e recebeu 9,190 votos, o que representa um investimento de R$ 14,96 por voto ganho.

Dos outros três candidatos a prefeito de Montenegro, apenas Márcio Menezes (PSDB) também aparece no sistema do TSE como tendo entregue o relatório final da prestação de contas. O candidato gastou R$ 53.330,00 na sua campanha e recebeu 974 votos, indicando um custo de R$ 54,75 por voto recebido.
De acordo com o sistema do TSE, a campanha de Ricardo Agádio Kremer (PT) realizou a entrega parcial da prestação de contas e a de Percival Souza de Oliveira (Republicanos) entregou apenas o relatório financeiro. Por isso, não foi calculado o valor gasto por esses políticos para cada voto recebido.

No Vale do Caí, o maior gasto por voto ganho entre os eleitos foi o da campanha da prefeita da Maratá Gisele Adriana Schneider (Republicanos). Primeira mulher eleita para o cargo na cidade, ela recebeu 1.000 votos e gastou R$ 52.998,23 na campanha, ou seja, teve um gasto de R$ 52,99 por voto recebido.

Inclusive, o valor gasto da campanha de Gisele é maior do que a soma das despesas de campanha de seus dois adversários – Miguel Henrique Broilo (PSL) e Paulo Roberto Abraham (PTB). Juntos, eles gastaram R$ 40.456,90. A título de comparação, a campanha de Gisele recebeu R$ 42 mil do Fundo Especial de Financiamento de Campanha de seu partido, enquanto que Broilo recebeu R$ 15 mil e Paulo R$ 13.715,50. O restante do dinheiro investido nas campanhas foi arrecadado através de pessoas físicas ou de gastos estimáveis.

A menor despesa por voto ganho na região foi registrada em Harmonia. Lá, o eleito Ernani Forneck concorreu sem adversários. A campanha teve R$ 6.283,55 de gastos e recebeu 2.624 votos. Assim, cada voto representou um investimento de R$ 2,39.

Confira o valor gasto por voto recebido pelos prefeitos eleitos do Vale do Caí

Deixe seu comentário