Pneus integram a lista de “vilões” que acumulam água nos pátios das residências

Infestação. A Vigilância em Saúde orienta a população a adotar medidas simples para evitar o aparecimento de larvas

Grande parte da população sabe como deve agir para evitar o aparecimento do tão temido mosquito Aedes aegypti, porém poucos colocam em prática as orientações dadas pelos órgãos de saúde pública e pela imprensa. Diante da confirmação de que Montenegro está infestada pelo inseto, e do primeiro caso de Dengue registrado no município, no dia 31 de janeiro, nesta segunda-feira,11, a Vigilância em Saúde realizou um mutirão no centro da cidade. Na ocasião, a maioria das residências foram vistoriadas por agentes de saúde e de endemias, exceto as que os moradores não estavam em casa.

A colaboração dos moradores foi fundamental para a execução dos trabalhos dos agentes. Anisia Ulrich e Jaqueline Ventura percorreram a rua Barimo Barcelos orientando os cidadãos a não deixarem água parada em vasos de plantas, pneus, baldes e todo o tipo de recipiente que possa servir de criadouro para larvas. Ambas verificaram ralos, garrafas vazias e até reservatórios. Em uma caixa d’ água foram encontradas larvas que seguem para análise no laboratório do município. O teste de identificação deve ser concluído ainda esta semana.O responsável pelo local, que usa o objeto para armazenar material reciclável, foi orientado a furar o recipiente para que este não volte a acumular água.

O empresário Lúcio Nonnemach Lima também abriu as portas de sua empresa e pretende acatar a recomendação das agentes. “O pessoal da Vigilância pediu pra gente colocar telas nos ralos de escoamento da água. Colocando a tela o inseto que estiver lá dentro não sai e o bichinho que for colocar os ovos também não consegue entrar. Também pediram para cuidarmos para que não fique água em vasos e baldes”, conta.

Erni Ulisses Franco Fauth já está acostumado a receber a visita das agentes. Na casa dele tudo está em ordem. Isso porque todas as recomendações são seguidas. “Eu já estou acostumado com o processo, o pessoal vem sempre. É um prazer receber a equipe aqui em casa”, conclui.

É preciso combater a larva
Impedir que as larvas se desenvolvam é a principal medida preventiva contra o Aedes, comenta a agente fiscal da Vigilância em Saúde Maribel Martins. “Não podemos deixar a larva se tornar um mosquito adulto. Ele pode picar uma pessoa infectada e repassar isso. A gente não pode deixar o mosquito se criar, vamos atacar a larva”, destaca Maribel.

Só neste ano já foram registrados 22 focos do mosquito em Montenegro. Maribel salienta que apenas no centro de Montenegro já foram localizados cinco criadouros. “O cuidado deve ser o mesmo em todos os bairros. O Aedes gosta de água limpa. Pratinhos, pneus, vasos, calhas e até uma casquinha de ovo, podem servir como depósito de larvas. Plantas como bromélias devem ser limpas e secas”, orienta.

Por enquanto não há previsão para aplicação do procedimento popularmente conhecido como “fumacê”. Conforme Maribel, isso só será necessário se houver um número grande de pessoas contaminadas com a doença.

Relembre o caso
Na semana passada a secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou o primeiro caso de dengue em Montenegro este ano. A pessoa contaminada é uma mulher de 44 anos, moradora de localidade do interior. De acordo com nota da SMS, ela esteve no Nordeste do país na primeira quinzena de janeiro. Ao retornar ao município, sentiu sintomas típicos do contágio e procurou atendimento médico. Após, entrou em contato com a Vigilância Epidemiológica e foram realizados testes para dengue e chikungunya, no Laboratório de Saúde Pública (LACEN).

A mulher já encontra-se recuperada e a Vigilância em Saúde inicia o bloqueio viral/vetorial, de acordo com as Normas Técnicas e Protocolos do Ministério da Saúde. Conforme indicação do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, possivelmente além do “pente fino” nas moradias do entorno do domicílio da pessoa diagnosticada com dengue, e também do seu local de trabalho.

Confira os focos

Deixe seu comentário