"Bilinha" chegou a ser procurado no Paraguai. Foto: BM/ Divulgação

O indivíduo Valmir Ramos, vulgo “Bilinha”, 42 anos, foi preso pela Brigada Militar na noite deste domingo, dia 3, em Canoas. Ele possuía quatro mandados de prisão em seu desfavor e foi identificado durante abordagem a veículo suspeito de estar aguardando por uma carga de drogas. Outros três homens também foram presos.

Na companhia de mais três homens, Bilinha carregava 10 kg de drogas. Foto: BM/Divulgação

Com eles havia aproximadamente 10 kg de drogas, diversos celulares, dinheiro e uma pistola calibre 9mm. Ramos era alvo de uma operação em maio do ano passado, em Pareci Novo, que resultou na morte do policial civil Leandro de Oliveira Lopes, de 30 anos, da Delegacia de Homicídios de Canoas.

No mês passado, a Justiça determinou o arquivamento da investigação sobre a morte do policial. A decisão atendeu um pedido do Ministério Público. Segundo a juíza Priscila Gomes Palmeiro, da 1ª Vara Criminal de Montenegro, todos os indícios apontam que o tiro fatal partiu de um dos policiais.

A juíza também recebeu, no mês passado, a denúncia contra a dupla alvo da operação policial que terminou na morte de Leandro. Paulo Ademir de Moura, que havia sido preso dias depois da troca de tiros em Maquiné, no Litoral Norte, e Valmir Ramos, viraram réus e vão responder por tentativa de homicídio qualificado (24 vezes), posse irregular de arma de fogo e munições, posse de drogas para consumo próprio e roubo.

Deixe seu comentário