Prazo de entrega original não foi cumprido

60 dias. Contrato estipulou finalização da obra nesta quinta-feira, mas atraso demandou acionamento da prorrogação

Os novos sanitários do Parque Centenário deveriam ser entregues nesta quinta-feira, dia 28. Ao menos é o que diz a placa com as informações da nova edificação, fixada em frente ao canteiro de obras. Atrás do material informativo, no entanto, não é difícil constatar que o serviço, de fato, está longe de ser finalizado. Tanto, que a Prefeitura já fez uso da cláusula de prorrogação do contrato, o que dará mais 60 dias até que a efetiva entrega seja feita.

A construtora Macrosul Construções, de Pareci Novo, foi a vencedora da licitação e está tocando a obra. O projeto contempla um banheiro feminino e um masculino, ambos com acessibilidade, dois chuveiros em cada, dois vasos no feminino e um vaso e um mictório no masculino. Ambos os banheiros têm vestiários, equipados com três chuveiros cada.

O Centenário já possuiu outros dois sanitários: um próximo da pista de corrida principal, que é público, e outro próximo ao prédio onde funciona a Defesa Civil, que é fechado para os funcionários que trabalham no Parque. Ambos seguirão funcionando normalmente, seguindo as mesmas regras atuais.

R$ 71.599,65 foram investidos de recurso próprio do Município para a construção dos novos banheiros. O valor acarretou em uma enxurrada de críticas à Administração Municipal. Dentre as colocações – a maioria publicada no Facebook da Prefeitura – estava que o recurso poderia ser melhor investido na manutenção dos sanitários já existentes, até sem que se gastasse tanto. “Com 71 mil, eu faria uma baita de uma casa”, criticou um dos internautas.

“Para se ter noção, em relação ao Custo Unitário Básico (CUB) – unidade de medida relativa ao custo do metro quadrado da construção civil -, fornecido pelo Sinduscon/RS, o custo desta obra é de R$ 1.257,23 por metro quadrado, ficando assim, abaixo do valor do CUB de prédio popular (padrão baixo) que é de R$ 1319,87”, defende o secretário de Obras Públicas, Argus Machado, através da Assessoria de Comunicação.

Sendo construídos próximos da cancha onde ocorrem as competições tradicionalistas, os novos banheiros devem atender à demanda de quem frequenta os eventos do tipo no Parque. “Temos que dar um conforto para o pessoal. Essa era uma demanda de tempo e esse governo do Kadu viu que era necessário e está apoiando a gauchada”, defende o presidente da Associação dos Tradicionalistas de Montenegro (ATM), Márcio Mombach.

Ele conta que, em atividades como os rodeios e acampamentos da semana Farroupilha, apesar de ser liberado o acesso aos banheiros do Ginásio Azulão, acabava sendo necessária a contratação adicional de banheiros químicos. Com a demanda por locais para banho, ainda, era preciso contratar carretas com chuveiros, o que aumentava os custos. “Agora, tu vai fazer um evento e se torna mais fácil”, salienta Mombach, confiante de que a nova estrutura estimulará uma maior participação da comunidade nas atividades tradicionalistas.

VEJA A COMPOSIÇÃO DO VALOR DA OBRA
Serviços iniciais – R$ 3.425,53
Instalações hidrossanitárias – R$ 21.175,12
Supraestrutura – R$ 3.759,80
Infraestrutura e obras complementares – R$ 10.015,63
Paredes e painéis – R$ 4.861,64
Esquadrias – R$ 7.637,64
Revestimentos – R$ 4.556,88
Pavimentação – R$ 3.535,33
Limpeza – R$ 117,43
Instalações elétricas – R$ 2.632,95
Pintura – R$ 2.853,92
Cobertura – R$ 7.027,78

Deixe seu comentário