O prefeito Gustavo Zanatta visitou o local nesta segunda-feira, 19, acompanhado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Juarez Vieira da Silva (PTB) e pelo deputado estadual Elizandro Sabino (PTB). Foto: divulgação/ Acom Prefeitura de Montenegro

Com os efeitos econômicos da pandemia, o crescimento do desemprego e a queda na renda das famílias, vem aumentando o número de pessoas em condição de vulnerabilidade social, necessitando da doação de alimentos. Identificando a demanda, a Secretaria de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania (SMHAD) criou o Banco de Alimentos Municipal.

Hoje, a distribuição de cestas básicas pelo município obedece a rigorosos critérios, estabelecidos pela lei 6.369/2017, contemplando famílias com renda per capita de até um quarto de um salário mínimo (R$ 275,00). Entretanto, há muitos casos de pessoas que não estão cadastradas ou que, por pouco, não se enquadram nos critérios.

Para amenizar o sofrimento destas famílias em reconhecida situação de dificuldades, o Banco é composto exclusivamente por alimentos doados. Os primeiros 400 quilos, além de 100 litros de leite, foram arrecadados durante a vacinação contra a Covid-19. A população vacinada está sendo convidada a levar alimentos, como feijão, farinha, arroz, entre outros. “Precisamos da colaboração das pessoas e empresas para ajudar essas famílias que tanto sofrem”, frisa o secretário da Habitação, Luis Fernando Ferreira.

A meta agora é seguir abastecendo o estoque. O prefeito Gustavo Zanatta visitou o local nesta segunda-feira, 19, acompanhado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Juarez Vieira da Silva (PTB) e pelo deputado estadual Elizandro Sabino (PTB). “É uma ótima iniciativa. Quem tem fome não pode esperar”, destacou o prefeito.

As doações, por cidadãos e empresas, podem ser encaminhadas para a sede da SMHAD, na Rua Apolinário de Moraes, 1705, nos fundos do Hospital Montenegro. O telefone é o 3632 3715.

Deixe seu comentário