Orientação é que a população que precisa dos alimentos busque atendimento junto ao CRAS de Montenegro

SMHAD está realizando revisão cadastral e, agora, entrega será feita por agendamento

A distribuição de cestas básicas pela Prefeitura está passando por mudanças. Após constatar problemas no benefício, a Secretaria Municipal de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania (SMHAD), terá um novo protocolo de entrega e atendimento à população.

A SMHAD iniciou no dia 13 de janeiro uma revisão cadastral dos beneficiados e anunciou ter encontrado algumas irregularidades. De acordo com o Diretor de Assistência Social e Cidadania da pasta, Diemeson Alves, os casos mais frequentes encontrados foram de pessoas que mudaram a situação econômica e, mesmo assim, continuaram retirando o benefício. “Teve casos de pessoas que estavam desempregadas lá em abril do ano passado, por exemplo, mas um mês depois conseguiram emprego e continuaram pegando a cesta básica”, conta o Diemeson.

Outra situação identificada foi de casais que relatavam estar separados e os dois eram contemplados com o benefício, mas se verificou que essas pessoas tinham os mesmos dados, como endereço e telefone. Além disso, em muitos casos os beneficiários estavam retirando a cesta básica sem ter passado por atendimento no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Para evitar que esse tipo de situação volte a acontecer, agora, o CRAS é quem fará a seleção de quem receberá o benefício. Os agendamentos foram retomados na última quarta-feira, 20, e podem ser realizados tanto por telefone quanto presencialmente.

O atendimento presencial, diretamente no CRAS, será realizado somente nas terças-feiras, até o limite de 42 pessoas. Os demais dias da semana serão reservados aos que fizerem o agendamento por telefone. As ligações serão atendidas nas quintas-feiras, das 13h às 16h. Também neste caso serão marcados até 42 atendimentos por dia. O telefone do setor é 3649-1110.

Moradora do Bairro Bela Vista, Vitória Gama dos Santos é uma das beneficiadas pelas cestas básicas distribuídas pela Prefeitura. Desemprega há dois anos ela conta que necessita do benefício para ajudar na alimentação da família em casa. Ela também concorda que deve haver critérios mais bem definidos para a distribuição do benefício. “Eu tenho filho e não tenho condições, mas tinha pessoas que tinham condições e pegavam cesta básica também”, relata a dona de casa. Mas, para Vitória, esse era um trabalho que já deveria ter acontecido desde o ano passado, pois, segundo ela, agora com uma demanda muito grande por atendimentos no CRAS, aqueles que realmente precisam do benefício ficarão prejudicados.

DEMANDA CRESCEU

A crescente necessidade da população pela assistência social é demonstrada com números. Os dados confirmam a alta demanda por atendimento no CRAS. Em janeiro foram agendadas, aproximadamente, 400 atendimentos. Para fevereiro, a previsão é que 800 famílias sejam atendidas, sendo que a partir de agora há datas disponíveis para atendimento somente para março.

Como forma de amenizar a demanda junto ao CRAS, a SMHAD informou que quem nunca retirou mais de quatro cestas básicas não precisará passar por revisão desta vez. Além disso, quem passou por atendimento no CRAS e teve a cesta básica liberada em novembro e dezembro, também não passará por revisão cadastral por enquanto.

Para os dois casos, então, basta comparecer na SMHAD, nas segundas, quartas e sextas-feiras. É preciso documento de identificação com foto do solicitante.

Diemeson Alves, Diretor de Assistência Social e Cidadania, ressalta também que se a situação econômica da pessoa não mudou e ela ainda continua necessitando do benefício, o direito dela está garantido. “Se a pessoa retirou oito cestas básicas e chegar no CRAS, conversar com as técnicas e elas entenderem que ela permanece em uma situação de vulnerabilidade e tem direito de ganhar cesta básica essa pessoa vai continuar ganhando”, garante o diretor.

2 comentários

Deixe seu comentário