Sem verba específica e sem benefícios: autoridades assinalam que votação é a forma mais rápida de conquista

Consulta Popular. Comunidade precisa expressar seu desejo por Segurança Pública como alicerce para demais áreas

Depois de dois anos excluída do processo de Consulta Popular, na edição 2017 a Segurança Pública voltou a figurar entre as demandas prioritárias para o Vale do Caí. Esse ressurgimento motivou as autoridades policiais a se mobilizarem para pedir a participação dos cidadãos; sob a convicção de que é preciso acreditar na honestidade do processo. Uma vitória na Consulta suprirá a desatenção à região por parte do Governo do Estado, devido aos baixos índices de criminalidade, na comparação com demais comunidades.

Ontem o comandante regional da Brigada Militar, tenente-coronel Marcus Vinícius Sousa Dutra; e os delegados de Polícia Civil, regional Marcelo Farias Pereira e 1ª DP de Montenegro Eduardo Azeredo conversaram com o Ibiá a respeito. A reunião conjunta evidencia a irmandade das duas forças em busca dos objetivos comuns, que neste caso diz respeito a lutar por benefícios em prol do cidadão. Dutra salienta que votar na demanda número 5 é a única maneira da região conquistar recursos em forma de viaturas, armamento, coletes balísticos e tecnologia de informática.

“Depois da saída da Segurança da Consulta, a Polícia Civil não ganhou mais nada”, recorda Pereira. Dutra lembrou que esse seria o terceiro ano de exclusão desta área da cédula, cenário revertido graças a iniciativa de alguns municípios. “Mesmo não havendo a mobilização promovida pela polícia, a grande maioria dos prefeitos escolheu Segurança. Isso comprova que ela é importante”, assinala Dutra. Essa área não tem verba específica anual, ao contrário de Saúde e Educação que têm percentual mínimo de investimento determinado por lei.

“O Vale da Felicidade, e seu turismo, haverá somente com Segurança Pública”, parafraseou o responsável pela 1ª DP, delegado Azeredo, ao lembrar as ambições do Vale. Isso significa dizer que, votar primeiro em áreas mais lúdicas e com possibilidade de retorno financeiro, sem antes cuidar da proteção, será pouco profícuo. A votação é feita unicamente pela Internet, de casa ou em pontos disponibilizados pelos municípios. É possível acessar computadores nas delegacias, DPPA e no 5º BPM. Também há computadores itinerantes circulando em espaços públicos.

Vote pela Internet
– Pelo site da Consulta Popular – www.vota.rs.gov.br;
– Presencialmente, por aplicativo disponível a representantes dos Coredes e dos Comudes;
– Via SMS para o número 29000 com a palavra RSVOTO ‘hashtag’ (Nº do título de eleitor) ‘hashtag’ (Nº do programa, de 1 a 10); incluindo o ‘hashtag’ como separador das informações.

Para o campo e para a cidade
O tenente-coronel assinalou algo importante para quem acessar a cédula eletrônica. Apesar da demanda número 5 descrever “estimular o registro dos casos de abigeato, na região, para mapeamento e definição de estratégias”, Dutra explica que o recurso será para ações de policiamento. Assim, a chegada de viaturas e equipamentos de segurança ao efetivo refletirá em todos os lugares, na cidade e no campo.

Facilidade na palma da mão para exercer a cidadania e eleger a prioridade para investimento Foto: Dani Barcellos/Palácio Piratini

Logo, quem mora na Zona Urbana, e não sofre com o roubo de gado, também deve escolher a Segurança Pública. Em 2017 estão disponíveis ao Vale R$ 1.731.428,57; que serão distribuídos em 50% para primeira demanda mais votada; 30% para a segunda e 20% para a terceira.

Em 2014, última inserção da demanda, o valor total era de mais de R$ 4 milhões. Somente a Segurança dispunha de R$ 1 milhão. Números que asseveram a necessidade de manifestação através do voto. Outro detalhe é a mudança na forma de avaliação para atender a demanda. Além da contagem simples de votos, o percentual de votantes em relação à densidade demográfica também será observado.

Período e acesso
A votação iniciou terça-feira (1º), e segue hoje (2) para encerrar quinta-feira (3). Estão habilitados a votar apenas os eleitores com domicílio eleitoral no Rio Grande do Sul, que podem escolher apenas um dos Programas ou ações constantes da cédula de sua região eleitoral por Corede. Na votação online e nos pontos de votação, é necessário o número do título de eleitor. Caso não recorde, o site de votação tem link direto com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pesquisa.

Deixe seu comentário