Invicto, Peludos FC conquistou pela primeira vez o título da principal divisão do clube

Imbatível. Equipe conquista seu primeiro título na principal divisão do clube

Em uma partida acirrada e muito disputada na noite da última segunda-feira, 21, o Peludos FC/HP Engenharia superou o Casa Bento/+QD+ por 2 a 0 e conquistou o título do Campeonato de Futebol Sete do Cantegril pela primeira vez. Após uma etapa inicial de superioridade do +QD+, mas sem gols, o Peludos voltou melhor do intervalo e garantiu a taça com gols de Júlio César Machado, o Julinho, e Cristian da Rosa. O público, mais uma vez, marcou presença nas arquibancadas do clube.

As duas melhores equipes da competição abriram e fecharam o certame. No dia 17 de outubro, na partida de abertura, o Peludos foi melhor no primeiro tempo, o +QD+ foi superior na segunda etapa e o duelo terminou empatado em 2 a 2. Pouco mais de dois meses depois, os dois times voltaram a se enfrentar, desta vez para decidir o título do campeonato.

No embate dessa segunda-feira, o +QD+ começou melhor. Depois de muito estudo de ambos os lados nos minutos iniciais, o +QD+ teve uma boa oportunidade em cobrança de falta aos cinco minutos. Em jogada ensaiada, Pedro Almeida recebeu na direita, deixou o marcador no chão e finalizou, mas a bola subiu demais. Dois minutos mais tarde, William de Mello, o Limão, aproveitou bate-rebate no bico da área e bateu colocado, no ângulo. O goleiro Marcelo Gabriel se esticou todo para salvar o Peludos.

Julinho Machado (camisa 10) comemora o primeiro gol do Peludos na decisão

Aos 11, Dudu Nunes ganhou de dois defensores na área e ficou de frente para o goleiro Marcelo, que fez mais uma grande defesa e evitou o gol do +QD+. A melhor – e talvez única – chance do Peludos na primeira etapa saiu dos pés de Arlei Conte, aos 16 minutos. O ala fez boa jogada pela direita, cortou para o meio e bateu, mas a bola foi para fora.

A etapa complementar começou tensa, com muitas faltas (seis em apenas sete minutos, sendo quatro do Peludos) e reclamações dos dois times com a arbitragem. O +QD+ seguiu no campo ofensivo, mas deixou espaços na defesa, e o entrosado time do Peludos não perdoou. Aos oito minutos, Julinho ganhou da marcação no meio-campo e tocou de calcanhar para o irmão Lindomar Machado, que limpou o marcador e devolveu para Julinho. Sem marcação, o meia teve tempo de escolher o canto, deslocar Andinho e abrir o placar para o Peludos.

Um minuto após o gol, Magnus de Paula, o Blau, cometeu falta em Julinho no meio-campo e foi expulso pela arbitragem. Com um a menos em campo por dois minutos, o +QD+ se fechou para evitar o segundo gol do Peludos, que praticamente decidiria o torneio. Quando o time voltou a ter igualdade numérica, novamente foi para o ataque e apostou no pivô de Dudu Nunes, que cavou uma falta na frente da área e deu passes importantes, mas a defesa do Peludos estava em uma noite intransponível.

Aos 17 minutos, o Peludos encaixou um contra-ataque com Julinho pelo lado direito. O autor do gol driblou o zagueiro e serviu Cristian da Rosa, que bateu forte e venceu o goleiro Andinho: 2 a 0 e muita comemoração do Peludos dentro de campo. A dois minutos do fim, Limão fez falta no ataque e recebeu o segundo cartão amarelo. No lance seguinte, Igor Mateus também cometeu falta no campo ofensivo e recebeu o segundo amarelo, deixando o +QD+ com dois a menos em campo.

A 30 segundos do fim da partida, Everton Ferreira, o Tabajara, fez nova falta no ataque e também foi expulso pela arbitragem. Vale destacar que, apesar das quatro expulsões do +QD+ (todas oriundas de faltas cometidas), não houve confusão e os times prezaram pela qualidade do jogo, protagonizando um grande espetáculo.

Autor de um gol e uma assistência na partida decisiva, o meia Julinho ressaltou a união do Peludos. “Esse título representa a união do grupo, o futebol coletivo que a gente joga. Não jogamos para ninguém e por ninguém, jogamos por nós mesmos. É difícil montar um time e conseguir aliar 12 caras que defendem o grupo com unhas e dentes. Isso é gratificante para nós. Fizemos um baita campeonato, fomos campeões invictos”, enaltece.

O destaque da final também elogiou o adversário dessa segunda-feira. “Tenho que dar os méritos para o +QD+, que é um baita de um time, muito qualificado. Na minha opinião, eles têm o melhor time do clube, até em questão individual (jogadores). Mas o nosso coletivo é melhor, isso não dá para negar e foi provado hoje (segunda-feira)”, completou Julinho.

21 de Julho conquista a Recopa
Na outra final da noite, o tradicional 21 de Julho não deu chances para o Sociedade Alternativa e conquistou o título da Recopa ao fazer 8 a 0 no adversário. A equipe começou pressionando e não deixou o oponente respirar. Com oito minutos, o 21 já tinha balançado as redes três vezes. Aos dois, Cauê Gonçalves abriu o placar. Aos cinco, Lucas Avila ampliou e, aos oito, Maicon Fabiano, o Fronteira, fez o terceiro.

21 de Julho não deu chances para o Sociedade Alternativa na final da Recopa

Ainda no primeiro tempo, Carlos Eduardo de Souza aumentou a vantagem aos 18 minutos e, a poucos segundos do intervalo, Tiago Michelon fez o quinto. Na segunda etapa, Fronteira marcou mais um aos três minutos, Cauê Gonçalves fez o sétimo logo aos seis, e Tiago Michelon fechou o placar aos 15.
Depois de ficar de fora da fase decisiva da Copa, o multicampeão 21 de Julho se recuperou, foi soberano na Recopa e conquistou o título com merecimento.

Deixe seu comentário