Após passar por processos de ampliação e decoração, a igreja católica da Grande Timbaúva dispõe de mais espaço e conforto para receber seus fiéis

O projeto de ampliação e construção de novos espaços na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, no bairro Timbaúva, em Montenegro, começou a ser pensado em 2010 e colocado em prática a partir de 2013. Uma das principais mudanças observadas no local diz respeito à aproximação dos fiéis ao altar. A disposição dos bancos teve seu sentido alterado, formando um semi-círculo. Desta forma, onde quer que se esteja sentado, o presbitério ganha destaque no olhar dos presentes. Além disso, foram construídas salas para catequese e outros ambientes voltados a atender os visitantes da igreja de forma acolhedora.

Conforme o padre Ricardo Nienov, de 36 anos, o projeto foi elaborado pela arquiteta Gisele Lermem. O trabalho contemplou desde troca do forro, este com isolamento acústico e sistema anti-incêndio, até a construção da Capela do Santíssimo, uma sala para atendimentos espirituais, sacristia e três salas para catequização de crianças e adolescentes, num total de seis novos espaços. Neste formato, a paróquia consegue acomodar, sentadas, 370 pessoas. Contudo, ainda há espaços livres nos quais podem ser colocados cerca de mais 12 bancos.

A decoração do presbitério foi realizada pelo arquiteto especialista em Arte Sacra Cristiano T. Fabris, mesmo autor do trabalho executado na Catedral São João Batista, o qual é considerado referência para o restante do país. Jesus é a figura central da pintura, tendo ao seu lado as imagens dos padroeiros da igreja: São Paulo e São Pedro. A presença de ambos, no formato físico, também se faz presente. Logo na chegada à igreja, Pedro e Paulo “saúdam” os fiéis.

Conforme o padre, o uso da pintura vem sendo adotado em diversos locais, contudo muitas pessoas fazem questão de tocar nas imagens, o que só é possível com as estátuas. Por isso, na paróquia, serão mantidas ambas as formas, “As pessoas precisam sentir. Elas não se contentam em ver a imagem, é preciso tocá-la”, acrescenta.

Há quatro anos na paróquia, Ricardo conta que o número de frequentadores nas missas dobrou desde que chegou ao local. A presença de casais jovens e crianças também é destacada pelo religioso. “Hoje a paróquia está bem viva”, observa.

A auto-estima dos fiéis melhorou e, para o sacerdote, o motivo pode ser embelezamento da igreja e o trabalho de acolhimento que vem sendo desenvolvido. “Quando a gente consegue fazer a pessoa sentir-se amada e acolhida de forma particular, ela vai querer participar sempre”, acredita. Segundo o padre, ao contrário do que vem acontecendo na Catedral São João Batista, na Sagrado Coração de Jesus não há turismo religioso. Porém, a igreja já é reconhecida na comunidade pela forma acolhedora com que recebe seus visitantes.

Deixe seu comentário