Acusado foi capturado no bairro Progresso com diversas drogas

Delivery. Ele é apontado como responsável pela tele-entrega de entorpecentes

A Polícia Civil prendeu, no bairro Progresso, em Montenegro, um homem acusado de ser o responsável por um esquema de tele-entrega e distribuição de drogas sintéticas na Região Metropolitana. A ação realizada pela 1ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico (DIN) do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), entre o começo da noite de terça e a manhã dessa quarta-feira, dias 22 e 23, iniciou após denúncia anônima.
Ao todo, foram apreendidos 236 pontos de LSD, 14 comprimidos de ecstasy, uma cápsula de dimetiltriptamina (DMT), um frasco com 14 mililitros de LSD líquido, 1,7 grama de “changa” (DMT com ervas), 3,9 de DMT puro em cristal e 20,8 de substância base do ecstasy (MDMA). Também houve a apreensão de uma balança de precisão, dinheiro, celulares e uma moto no nome do acusado.

B. S., de 24 anos, foi encaminhado ao sistema prisional após ser preso em flagrante e vai responder por tráfico. No momento da detenção, inclusive, realizaria uma entrega. O jovem não possuía registros de antecedentes criminais.

Além do município do Vale do Caí, a droga também era comercializada em Porto Alegre e em outras cidades da Região Metropolitana. O trabalho da polícia prossegue e pode resultar em mais pessoas atrás das grades nos próximos dias, embora o acusado seja o principal suspeito de liderar a atividade criminosa.

O diretor de Investigações do Denarc, Mario Souza, comemora o fato de ter sido interrompido um esquema de tráfico de entorpecentes incomuns e de rara apreensão. Esse é, por exemplo, o caso do LSD líquido, considerado um “vip”. A quantia encontrada no vidro renderia até 70 gotas da substância. O DMT e a “changa” também são difíceis de serem retirados de circulação no Estado, de acordo com a Polícia Civil.

“Foi uma ação muito importante, porque era um esquema bem diferenciado de entregas desde Montenegro até Porto Alegre de drogas incomuns de serem realizadas apreensões. O esquema foi desarticulado e as investigações vão continuar”, comenta Souza.

Deixe seu comentário