Polícia, Brigada Militar, furto, residências, São José do Sul
Materiais foram apreendidos pela Polícia. Foto: PC/Divulgação

Mão Santa. Objetos de procedência duvidosa foram apreendidos no interior

A Polícia Civil, com o apoio da Brigada Militar, deflagrou ontem de manhã a operação Mão Santa para coibir a onda de furtos em residências em São José do Sul. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, sendo três na localidade de Dom Diogo Baixo e um em Linha Lerner, sob a coordenação do delegado Marcos Pepe, que ocupa interinamente o cargo na DP de Salvador do Sul.

Operação mobilizou 14 policiais da Civil e da BM foto: BM/Divulgação

Os agentes realizaram a apreensão de uma pequena porção de maconha, um forno micro-ondas, aparelhos de vídeo-game, telefones celulares, ferramentas em geral, rádio portátil, impressora e capacetes, considerados objetos de procedência duvidosa. O delegado Marcos Pepe chama atenção que desde novembro foram cerca de 15 casos de furto com arrombamento de residências na cidade, com o foco dos criminosos em televisores, eletrodomésticos em geral e equipamentos de jardinagem, como, por exemplo, aparadores de grama e roçadeiras.

“A partir de algumas informações, conseguimos fazer a operação com o apoio da Brigada Militar na casa de alguns suspeitos”, informa o delegado. Na investida policial, ninguém foi preso em flagrante. Entretanto, o delegado afirma que a investigação segue para tentar recuperar mais objetos, assim como prender os responsáveis por tirar a tranquilidade da pequena cidade.

Aliás, o policial lembra que os criminosos aproveitam o momento em que não há ninguém em casa justamente para praticar o arrombamento e o furto de pertences. “Os dados são alarmantes desde novembro”, acrescenta. Ele não acredita que organizações criminosas estejam se instalando e atuando na região, mas sim bandidos que estão monitorando a rotina dos moradores e aproveitando a “oportunidade” para fazer delitos.

“A gente não pode e não quer que eles tenham uma audácia maior”, reforça o delegado. Pepe alerta que a resposta da Polícia é importante para mostrar que não será permitido que eles se encorajem para cometer delitos mais graves, como, por exemplo, roubos e assim por diante.

O delegado pede para as pessoas que foram vítimas de furto mediante arrombamento para que compareçam em horário comercial na DP de Salvador do Sul para fazer o reconhecimento dos objetos apreendidos. A retirada só será possível mediante a apresentação de nota fiscal ou alguma imagem relacionada ao objeto.

Quanto ao nome da operação Mão Santa, o policial explica que é em alusão ao delito de furto “mão grande”, relacionado com as ocorrências, embora no resto do Brasil este tipo de crime seja conhecido como “mão santa”. A ação contou com 14 policiais, sendo 10 da Polícia Civil e quatro da Brigada Militar.

Deixe seu comentário