Chope em Metro é coisa séria, tanto que é julgado pela rainha e princesas da Corte da Festa. Foto: Assessoria Prefeitura Maratá

só o começo. 12 mil pessoas consumiram 11 mil litros, e ainda tem o segundo final de semana com show e baile

A 15ª Oktoberfest tem o direito de projetar um público total superior a 25 mil pessoas. Pois, se no primeiro final de semana cerca de 12 mil passaram pelo Parque, então com tempo bom e feriado, o segundo pode superar este número. Os motivadores são o chope gelado, as atrações artísticas e bailes, gastronomia, exposição comercial, parque de diversões e praça de alimentação.

A festa também deve bater recordes da bebida símbolo, que em dois dias e uma noite alcançou os 11 mil litros servidos. O produto da marataense Golden Bier é oferecido em quatro ilhas e com opções para atender paladares variados. Destaque para a tipo weiss Stammtisch, receita em parceria com a Cervejaria Bohemia, com amargor moderado, sabor intenso e graduação alcoólica de 5,4%.

E para beber com aplausos, os consumidores foram atletas do caneco nas competições de Chope em Metro (vence que beber antes sem derramar) e o Stammtisch (duas equipes de três componentes que devem beber em sequência).

E para animar ainda mais, em momentos estratégicos o Bierwagen cruza o Parque distribuindo mais chope. Para acompanhar, o prato típico é a cuca com linguiça, vendida pelas mães e vovós da comunidade. Este prato, ou o entrevero no pão, são recomendados para acompanhar as atrações, como fez o público de mais de 7 mil pessoas que cantou e dançou no show nacional de Bruno & Barreto, na noite de sábado.

Abertura foi singela e emocionante
A festa bianual de Maratá foi aberta na noite de sexta-feira com uma cerimônia simples, mas bela. Cada ato, que representava um episódio da história da comunidade, estava bem ensaiado e era rápido, evitando morosidade. O Desfile das Comunidades justifica seu nome pela presença de moradores, inclusive agricultores, de todas as idades. Outro destaque foram os músicos, corais e cantores solistas locais que revelaram o talento existente em Maratá.

A emoção foi dividida entre as crianças e os idosos, como o casal Mindo e Isolde Von Mühlen. Ele com 86 e ela com 84 anos, são o casal mais idoso da comunidade de São Pedro Maratá, que, por ser o berço da colonização que criou Maratá, é condutora da bandeira da Alemanha. Com 65 anos de casamento completados em 18 de setembro, revelaram o orgulho de participar carregando a bandeira da terra dos ancestrais. Mindo lembra que sua família foi assentada, inicialmente, na Picada 48, em Ivoti, e depois ainda foi para Paverama.

Deixe seu comentário