Eduardo Leite recebeu cesta de iguarias típicas de presente das soberanas de Maratá

15ª edição contou com a presença de Eduardo Leite, primeiro governador a visitar Maratá

Encerrou-se no domingo, dia 13, a 15ª Oktoberfest de Maratá. Após seis dias de muita alegria, chope e dança, a festa máxima do Município chega ao fim deixando um gostinho de “quero mais”. A estimativa da comissão organizadora é de que cerca de 25 mil pessoas passaram no Parque Municipal. Além disso, foram consumidos 19.760 litros de chope – 50 a mais do que na última edição. “Planejamos por muito tempo a Oktoberfest, tivemos erros e acertos. Precisamos melhorar um pouco em questão de estrutura, pois a Oktoberfest está a cada edição maior e melhor”, destacou o presidente da comissão organizadora, Alexandro Haupenthal. Para ele, o ponto máximo foi a animação da festa durante os seis dias.

Dentre os alimentos experimentados, o governador pode apreciar uma bela cuca alemã

Alex, como é conhecido o presidente, salientou ainda a eliminação dos copos descartáveis nesta edição, reduzindo o número de lixo gerado. “Em uma avaliação geral, a festa foi um grande sucesso em todos os sentidos. A comissão organizadora da Oktoberfest 2019 esteve engajada em um único objetivo e o mesmo foi alcançado: fazer a maior e melhor Oktoberfest de todos os tempos com organização e responsabilidade”, disse.

E foi nessa edição que pela primeira vez na história de Maratá um governador visita a cidade, que desde 1991 não recebia visita do chefe do Poder Executivo do Estado. Eduardo Leite esteve na 15ª Oktoberfest, na noite desta sexta-feira, 11, conversando com líderes locais e regionais, comunidade e, é claro, provando diversas iguarias da feira de agroindústria, como cuca, mel e geléia de bergamota.

Além de passar por estandes tirando foto e conversando com quem passava, o governador ainda apreciou apresentações de escolas municipais e estaduais, que dançaram músicas típicas alemãs; da Banda Marcial do Colégio Estadual Engenheiro Paulo Chaves; e da Orquestra Municipal de Maratá. Estiveram presentes no evento o prefeito de Maratá, Fernando Schrammel, o vice-prefeito Gilberto Martins; o presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Stein, líderes religiosos, soberanas e comunidade.

Encontro de Grupos de Danças Alemãs foi atração do último sábado de festa da 15ª Oktoberfest

Para o prefeito Fernando Schrammel, foi um orgulho receber pela primeira vez um governador do Estado na Oktoberfest de Maratá. “Eu quero, em nome do Município de Maratá, parabenizar o trabalho que o Eduardo Leite está fazendo para a nossa região em tão pouco tempo. Algumas questões abandonadas, como o Hospital Montenegro, a segurança que está reforçada, a ERS-411 que estava abandonada e hoje está em obra, entre outras melhorias”, ressaltou. Na ocasião, Schrammel entregou um ofício reivindicando por recurso para realizar um trecho de asfalto na rodovia Transcitrus, de Maratá até Salvador do Sul. As soberanas de Maratá deram de presente uma cesta com comidas e bebidas para o governador.

Rodadas de chope em metro ocorreram nos seis dias

Eduardo Leite, em sua fala, agradeceu a receptividade e relatou que fez questão de marcar presença na Oktoberfest de Maratá. O governador ainda ressaltou assuntos pontuados anteriormente como saúde, segurança e obras. “A retomada de obra na ERS-411 é uma realidade, porque estamos de forma muito responsável conduzindo os recursos do nosso Estado, para que sejam realizadas aquelas ações que são mais demandadas pela nossa população. Entre outras várias, foi a saúde, não só o Hospital de Montenegro, mas diversos outros hospitais do interior estavam desde setembro do ano passado sem receber recursos e a gente retomou os pagamentos em dia”, disse.

Leite falou também sobre dificuldades financeiras, e disse estar fazendo o possível para melhorar. “O estado do Rio Grande do Sul tem uma grande dívida na área da Previdência, por isso estamos propondo reformas para que possamos caber dentro do nosso bolso. A maior despesa do Estado é a folha de pagamento dos seus próprios servidores, então é uma questão de conter o aumento da despesa”, explicou.

Bruno e Luana Lunkes vieram de Harmonia para o encontro de danças alemãs

Grupos de Danças Alemãs agitam o penúltimo dia da 15ª Oktoberfest
O sábado, 12, penúltimo dia da Oktoberfest de Maratá, foi animado. Durante a tarde, o Encontro de Grupos de Danças Folclóricas Alemãs fez a alegria do público presente no Parque Municipal. Além do grupo Vollerschwung, anfitrião da tarde, folcloristas de mais cinco cidades apresentaram as danças tradicionais alemãs aos visitantes.
Luana e Bruno Lunkes vieram de Harmonia especialmente para o Encontro. “Não viemos com todos os integrantes, mas a gente procura apresentar o município da melhor maneira possível. Está bem cheio, estamos nos surpreendendo”, comentaram.
Para Clarine Pittelkow Luft, secretária de Educação e Cultura do município e participante do grupo Vollerschwung, a Oktoberfest é uma forma de apresentar a cultura alemã para os visitantes. “Estamos nos preparando para este evento há um tempo. A expectativa é maior porque vamos nos apresentar aqui para pessoas de fora da cidade, então estamos nos empenhando ao máximo para que todos se sintam envolvidos na nossa cultura.”
Além do Encontro de Grupos, também ocorreram rodadas de chope em metro. Diego Giovane de Negri veio direto de Novo Hamburgo para a Oktoberfest de Maratá e ganhou a primeira rodada da disputa. Além disso, ele deu dicas de como beber o chope com maestria e vencer a disputa. “Depois que você levanta o canudo, não pode baixar. Então deve respirar pelo nariz e tenha cautela, preste atenção somente na sua ação”, explica o campeão da rodada. (AO)

Deixe seu comentário