O trânsito no local fica bloqueado até o final da tarde da próxima quarta-feira, 15

Embelezamento. As alterações serão realizadas em 105 metros da orla

Com data limite para a prestação de contas em 29/08/2019, o projeto de revitalização de trecho do Porto das Laranjeiras, teve início na manhã desta segunda-feira, 13. Dentre as alterações, estão previstos, em 105 metros da orla, o alargamento das calçadas, reforma do quiosque, novos pergolados, novos bancos, novas luminárias e rampas de acesso. Devido às obras, a rua Cel. Álvaro de Moraes, no Centro, fica bloqueada até o final da tarde desta quarta-feira, 15. A restrição de trânsito compreende o trecho entre as ruas João Pessoa e Dr. Flores (quadra em frente à Câmara de Vereadores).

O projeto tem um investimento de R$ 247.500,00, sendo R$243.750,00 oriundo do Ministério do Turismo e R$3.750,0 de contrapartida do município. A iniciativa é uma realização da Prefeitura de Montenegro, resultante de trabalhos da Administração Municipal junto ao governo Federal.

De acordo com o prefeito Kadu Müller, a revitalização promove melhorias em itens como acessibilidade; jardinagem; passeio público; mobiliário urbano (bancos e lixeiras); e Iluminação. O trecho também receberá novos canteiros com vegetação, troca de piso, acessibilidade e piso podotátil, bem como faixa de segurança elevada e sinalização horizontal e vertical viária.

Com fiscalização da Secretaria Municipal de Obras Públicas, a empresa Upper Engenharia Eireli é quem promove as intervenções e tem, como previsão, até 180 dias para concluir os trabalhos a partir da ordem de início. Segundo a vice-diretora do Movimento de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Montenegro (MPPHM), a arquiteta e urbanista Letícia Kauer, o projeto de revitalização preocupa o MPPHM devido a irregularidades. “Eles estão fazendo esse projeto de revitalização sem nenhum cuidado histórico. O projeto deveria passar pelo Movimento, pelo Comdema, e não passou por nenhuma dessas entidades, então esse projeto teoricamente não poderia ser executado, porque ainda não passou”, diz Letícia.

Deixe seu comentário