Com frequência, os velhos postes de madeira sucumbem a temporais. Fotos: Arquivo Jornal Ibiá
Linhas que passam por dentro das propriedades
dificultam manutenção e problemas são frequentes. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

Estrutura. Interligação acabaria com baixa potência, mas não com queda de barreiras

A chegada da temporada de clima mais severo, potencializada em 2020 pela ocorrência de um ciclone bomba, expôs a fragilidade das redes de energia elétrica no interior de Montenegro. Sobretudo em Serra Velha, onde o corte no abastecimento durante temporal de qualquer nível é agravada pela baixa potência da linha. A concessionária RGE reitera seu plano de manutenção, além de revelar uma obra de interligação que atenderá a região entre Montenegro e Brochier.

A queda de luz na localidade repetiu-se nas últimas intempéries. Enquanto a Zona Urbana nada sofreu, a localidade de Serra Velha, na área rural, teve horas de escuridão. Ao menos desta vez o restabelecimento teria sido rápido. Um dia de corte e apenas em parte da comunidade, o que pode ser considerado muito bom para os padrões da Serra Velha.

A rede elétrica é antiga, sustentada por precários postes de madeira, muitos deles passando dentro de propriedades rurais, onde são atingidos pela vegetação. Além disso, a capacidade da rede impede ampliação ou instalação de empreendimentos. Agricultores encontram dificuldade para colocar em funcionamento equipamentos de ordenha e tanques conservadores de leite, e até o armazém local sofre com quedas de força.

Os moradores já chegaram a sofrer por mais de uma semana sem luz, após a queda de alguma barreira na rede ou de poste, revelando não serem prioridade nas situações de emergência. E mesmo quando a fornecimento ativo, ele se mostra fraco. Em outra reportagem do Ibiá, os relatos foram também de queda de potência em aparelhos domésticos, impedindo que dois sejam ligados simultaneamente.

Eles estão mobilizados, e aguardam retorno de um supervisor de operações da RGE com o qual conseguiram contato. “Vamos ver o que ele tem a dizer a respeito deste assunto”, comentou o industriário Jorge Diego de Oliveira. Unidos, ingressaram também com ação junto à Comissão Municipal de Defesa do Consumidor (Comdecon), acionado a concessionária. Mas a mudança de coordenação no órgão deixou-os sem notícias a respeito do andamento.

Ao Ibiá, o atual secretário executivo da Comdecon, Patrick Zaboski Pinho, informou que não há processo em andamento. Ele verificou somente um convite para reunião, realizada em dezembro, entre o secretário da época Fábio Júnior Barbosa e moradores. “Tampouco há ata com a resolução e encaminhamentos da referida reunião. Apenas lista de presença”, afirma.

Questionada se recebeu contato da Prefeitura para debater projetos a respeito da área rural, a RGE comentou apenas que busca ações em conjunto com todas as prefeituras, através de reuniões periódicas.

Ex-coordenador do Comdecon garante que há processo para a Serra Velha
O ex-coordenador da Defesa do Consumidor em Montenegro (Comdecon), Fabio Júnior Barbosa, procurou o Ibiá para esclarecer os encaminhamentos que deu à demanda dos moradores da Serra Velha em relação ao serviço da RGE (reportagem vinculada na edição de 14 de julho).

Ele inicia explicando que, na época, classificou aquela situação como grave, então iniciou procedimento com reunião na comunidade. Ao final do encontro, ficou combinado que tudo seria encaminhamento ao Ministério Público (MP). A demanda do Interior quando a RGE já havia sido manifestada em relatório à Chefia de Gabinete da Prefeitura, em 24 de setembro de 2019.

“É um caso complexo, que demanda analise detalhada dos fatos e na legislação específica. Por isso não foi encaminhado ao MP, devido a complexidade. Não que não existe um procedimento. Quem entrou deveria dar andamento. Se não deu, é negligência”, defende Barbosa.

Ele finaliza apontando que há vários problemas nas redes da RGE pelo Interior de Montenegro. Fato registrado no relatório apresentado ao Governo. Barbosa foi exonerado da função em 6 de fevereiro deste ano.

Como é feita a interligação
A concepção deste tipo de obra é definida pela possibilidade de interligação de dois circuitos diferentes. Imaginemos que temos três pontos em série: A, B e C. Deste ponto B seria a comunidade receptora. Anteriormente, os clientes eram alimentados apenas pela subestação A. Com a opção de interligação, caso haja falhas na rede entre os pontos A e B, as casas podem ser supridas pela subestação no ponto C. Assim, após a conclusão da obra, garante a RGE, o efeito no abastecimento será de fornecimento superior.

Projeto vai garantir aumento da potência
A resposta da empresa RGE ao Ibiá traz uma novidade, que é a obra de interligação junto à rede de distribuição, que atenderia o interior entre Montenegro e Brochier, beneficiando inclusive a Serra Velha.

As chamadas ‘notas de interligação’ permitem interligar dois circuitos com fontes de alimentação distintas. Essa característica propicia um circuito que faz recuperação da rede em caso de avarias no sistema ou quando há necessidade de intervenções na rede. Em resumo, explica a empresa, as obras aumentam a confiabilidade no sistema de distribuição, melhorando a continuidade e reduzindo as interrupções e suas durações.

Embora não seja o principal objetivo, a presença da segunda fonte de suprimento permitiria que uma parcela dos consumidores fosse realocada à nova fonte, equilibrando o sistema. Por outro lado, alerta que os novos trechos de rede são concebidos prevendo um crescimento natural da carga, motivo pelo qual, neles e naqueles onde fora reduzido o volume de consumidores, há disponibilidade maior de potência.

A estimativa é que serão investidos R$ 780.045,57 na obra, e a previsão de conclusão é dezembro deste ano. Todavia, pode haver modificações no cronograma, devido a acontecimentos climáticos ou de força maior.

RGE pede que se plante longe dos fios
Quanto aos demais problemas, a concessionária reafirma investimentos e trabalho conforme seu Plano de Manutenção. Com isso, atenderia aos indicadores de interrupções e frequência de energia definidos pelo órgão competente à região de Montenegro.
No que se refere à localidade Serra Velha, diz que, constantemente, substitui postes. Já os moradores sempre afirmam que essa troca ocorre apenas quando há queda, e consequente corte de luz.

A RGE garantiu ainda que realiza podas sob as linhas; mas reforça seu apelo aos moradores para que, ao plantarem, analisem o espaço e projetem o crescimento daquela muda. Na verdade, o recomendado é não cultivar perto – tampouco embaixo – de redes elétricas ou do ramal de ligação à casa do cliente.

Deixe seu comentário